quinta-feira, setembro 05, 2013

A Filha de Parvati e o Deus da Morte



By: Even

Linda menina, recuperei a visão
Desde que vi o seu olhar
Brilho intenso da cor da imensidão
Que até a morte poderia enganar

Queria possuir a pena dos sábios Valmiki e Vyasa
Para poder descrever o que vi em sonhos
Mas como colocar em palavras
Tamanha beleza e encantos

Nos meus sonhos, caminhávamos na floresta
E você a mim se entregava
Fizemos amor entre ás arvores, sem pressa
E você, com calma, seu fruto me dava

Dentro de você, minha alma lançou-se ao longe
Vi a formação e a expansão do universo
MiríadeS de estrelas ao meu alcance
ao possuir o teu corpo tão belo

Seus cabelos eram como o rio Ganges
Fluindo do céu para a terra
Parecia que eu já tinha estado com você antes
E você sempre esteve a minha espera

Seus olhos eram tão cintilantes
Que pareciam refletir milhares de estrelas
Tua pele, ouro brilhante
Teus seios, os picos que o Himalaia tanto deseja

Então, algo ocorreu e percebi o perigo
O coração apertou e me senti muito mal
Era claro, a morte marcara encontro comigo
Não era mais um sonho, era tudo real

Mas quando Yama chegou
Ele se assustou
Pois o seu brilho era tão intenso
Que o Deus da morte afugentou

Sim, o brilho do seu olhar
Era intenso e forte
Mas foram as chamas do seu amar
Que afastaram a morte

Ao acordar, percebi que estava apaixonado
Sei que minha mente pode não estar mais sã
Mas, Filha de Parvati, se você existir, quero muito estar ao seu lado
Basta gritar o meu nome : Satyavan

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply