domingo, dezembro 11, 2011

A Formatura da Jureminha

Participei da primeira festa de formatura da Jureminha. Sim, minha filha já está se arriscando na jornada do “learner”: faz natação todo sábado.

Lembro que quando a Auri me falou sobre o curso de natação para bebê, tive um flashback da capa de um álbum da banda Nirvana na minha cabeça junto com a lembrança de, pelo menos, uns cinqüenta artigos que li que diziam que a natação é para o bebê tão natural quando é para um adulto engordar vendo TV no sofá. Porém, mesmo assim, a idéia da minha filha numa piscina não era muito confortável, mas como eu poderia dizer “não”? Logo eu que vivo dizendo que é preciso correr riscos e tal...

Então, lá foi Jureminha e a mãe dela para a primeira aula, e a segunda, e a terceira. O resultado foi acompanhando no dia-a-dia: a coordenação motora da minha filha aumentou consideravelmente.

Fui pesquisar sobre isso, e descobri que até os cinco anos de idade, a criança passa por um processo intenso de desenvolvimento e maturação, preparando-se, pouco a pouco, para o futuro como adulto. Ou seja, até essa idade, tudo conta e modifica quem ela virá a ser. Todo esse desenvolvimento, de acordo com os especialistas é estimulado com a natação.

Ainda assim, confesso que toda vez que imaginava minha filha, mergulhando numa piscina, meu instinto de proteção ia à mil.

- Confia, pai – eu repetia a mim mesmo. De certa forma, funcionava. De outra forma, era melhor não pensar muito sobre isso. Porém, certa feita, eu decidi ir assistir uma das aulas, só para sentir que todos esses meus temores eram mesmo à toa.

Jureminha tem aula na Associação “Vem Ser” é uma entidade sem fins lucrativos que tem como missão integrar na sociedade, indivíduos de qualquer faixa etária e que possuam necessidades especiais. Além desse projeto, eles desenvolveram um curso de natação para bebês que visa não apenas a natação em si, mais também um curso voltado a ensinar as crianças a respirar melhor, aumentando sua capacidade broncopulmonar, o que lhes será útil pela vida afora.
Além disso, eles possuem um objetivo pedagógico, promovendo uma aprendizagem desse esporte segundo as regras da psicomotricidade, isto é, colocar o aluno em contato com o meio líquido, através de vivências e experiências lúdicas, proporcionando-lhe bem-estar físico e emocional, tanto no processo de aprendizagem, como de aperfeiçoamento das técnicas de cada nado. Tudo isso soava maravilhoso, porém, não passaria de um blá, blá, blá sem um professor competente. Daí, minha curiosidade em conhecer quem estava educando a minha filha.

- Frank, essa é a Professora Flor, instrutora da nossa filha – disse minha mulher, apresentando essa mulher de cabelo curto com um sorriso contagiante, cuja voz, de imediato, me transmitiu uma confiança tamanha que até eu que morro de medo d’água, pensei seriamente em aprender a nadar.

A Professora Flor é uma dessas professoras que não se encontra facilmente em escolas. Educadora por natureza, ela transmite conhecimento com naturalidade, além de um trato com os bebês
que muito me emocionou.

- Vou colocar uma música de fundo e quero que vocês, pais, brinquem com suas crianças. Façam isso com toda a atenção que elas merecem, pois enquanto vocês estão fazendo isso, os pequenos vão se preparando psicologicamente para essa experiência única que é fazer uma atividade física com os seres que elas mais confiam no universo: o papai e a mamãe dela. Brinquem com seus filhos, pais, pois brincar é a melhor forma para uma criança aprender.

Virei fã da Flor e da natação para bebês.

Descobri mais tarde, que a natação ajuda a desenvolver a memória, estimula o apetite, aumenta a resistência cardio-respiratória e muscular, tranqüiliza o sono e também previne várias doenças respiratórias. E razão pela qual a associação estimula que as aulas sejam feitas com os pais é para assegurar que as crianças aprendam com segurança; transformando o medo do desconhecido em um ambiente alegre e prazeroso.

Daí, o meu orgulho ao subir no palco e receber as honras em nome da minha filha que, apesar de ainda não compreender que era ela que recebia a homenagem, entendeu bem que aquele pacotinho cor de rosa que recebia da professora, era perfeito para ela brincar.

Brincar ! E existe melhor forma de aprender?


Para saber mais sobre a Associação Vem Ser, acesse:
http://www.associacaovemser.org.br/quem_somos.html

2 comentários:

INAMAR disse...

Parabéns a vocês !Deus os abençoe...Dá gosto " sentir " o paizão que vc é...

Cassia disse...

Ficamos muito felizes em ver seu depoimento e principalmente a evolução da Jureminha...Parabéns!
Cassia Yamada Eguthi (Associação Vem Ser)

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply