terça-feira, dezembro 28, 2010

RITUAL DE RENASCENÇA

Por Jane Chiesse Zandonade

Em meio a festas e vestidos brancos, preparo-me em silêncio: passo-me o perfume ...predileto, tiro as sandálias, desalinho os cabelos, escolho o batom bem vermelho; retiro da gaveta a sacola já preparada e a carrego porta a fora, ombros eretos, coluna alinhada.

O vento me carrega, amigo impaciente, célere cavaleiro do invisível: vvvaaaiii...

Não ouço mais a música imposta por algum vizinho; só para ele fantasio a emoção fácil de lembranças atrozes.

Subo a ladeira e lá no alto, na praça deserta, debaixo da amendoeira que sem eira nem beira debruça-se em reverência vazia – sou rainha? princesa do óbvio? – bem ali na escuridão do mato-não-mato e terra cansada, enterro um porta-retrato.

Para saber mais sobre a autora: http://versoeprosa.ning.com/profile/JaneChiesseZandonade

Um comentário:

thiagob disse...

muito bonito o texto.

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply