terça-feira, dezembro 14, 2010

ESPAÇO LUMINOSO - A CASA DE SHIVA NO SER

Por Wagner Borges

Há um espaço luminoso dentro de cada Ser.
Está além da percepção dos sentidos comuns.
E a mente não consegue mensurá-lo.
A sabedoria oriental diz que o Deus Shiva* mora nesse espaço sutil.
Inclusive, alguns o localizam dentro do coração do Ser.
E outros, o situam no topo da cabeça, no lótus das mil pétalas**.
Contudo, como localizar o Princípio Eterno em alguma área do corpo?
Ah, talvez Ele esteja em todas as células...
E quem sabe como o Poder Divino opera sutilmente em cada um?
O que se sabe é que, quando alguém sintoniza sua essência, tudo muda.
Porque, junto com a Luz, está o Amor. E, ali, Shiva faz sua dança vital.
E, diante do Seu Olho Espiritual, dissipam-se as brumas da ilusão.
Sim, tudo muda quando o Ser encontra o Supremo em si mesmo.
E, então, ele sabe que o Divino também está em todos.
E isso é um encontro mesmo? Ou, na verdade, seria um reencontro?
Ah, quem realmente sabe o que, nesse vasto universo da consciência?
O que se sabe é que existe esse espaço luminoso em cada Ser.
E só Shiva sabe o momento certo de se revelar ali.
Alguns o acharão nas viagens espirituais; outros, nas ondas da meditação.
E, outros mais, pelas vias do Amor e do Perdão.
E alguns, simplesmente pelo próprio desprendimento e alegria de viver.
O que é certo é que todas as vias levarão a Shiva...
Porque Ele está onde quer que alguém sinta o seu espaço luminoso.
No topo da cabeça, no coração, ou no centro da base da coluna, tanto faz...
Pois o espaço luminoso não é físico (e, no final, tudo é energia mesmo).
E só Shiva é que sabe o caminho da Luz em cada Ser.

Om Namah Shivaya!***

- Wagner Borges - neófito espiritual voando no Vento do Supremo.
São Paulo, 19 de novembro de 2010.

- Notas:
* Shiva - na Cosmogonia hinduísta, é o aspecto da divindade que opera todas as transformações; O Senhor das energias; O Poder Divino da Transmutação; O Dançarino Divino, que, em seu movimento secreto, dilui as brumas da ilusão e faz ver o real.
** Lótus das mil pétalas - do sânscrito, sahashara - metáfora iogue para o chacra coronário, que é o centro de força situado no topo da cabeça, por onde entram as energias celestes.
*** Om Namah Shivaya - do sânscrito - é um dos mantras evocativos de Shiva e Seu Poder de Transmutação. Para melhor compreensão sobre isso, ver o texto "Shiva -O Mahadeva", postado no site do IPPB, no seguinte endereço específico:
http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4681
Obs.: Nas notas desse texto está postada uma coletânea de textos relativos à Shiva, postados antes como textos periódicos do site ao longo dos anos -
www.ippb.org.br


((()))

TRATAKA

Trataka* é o nome da prática iogue da concentração mental em um alvo específico,seja objetivo (BAHIRANGA) ou subjetivo (ANTARANGA).
Pode ser realizada fixando-se uma variedade de objetos: vela acesa, bola de cristal, um retrato, a própria imagem refletida no espelho, uma mandala, ou a ponta do próprio nariz.
Há uma prática simples de trataka: a fixação mental na chama de uma vela. Essa prática é muito antiga e até hoje ainda é executada por vários ocultistas e
iogues.

TRATAKA COM A VELA ACESA: Isole-se num ambiente fechado, para ter tranquilidade.
Sente-se numa posição confortável. Coloque uma vela acesa** na altura de seus olhos, a uma distância de uns dois metros.
Escureça o ambiente, para realçar a chama da vela. Relaxe o corpo, com a mente bem serena e os olhos fechados. Fique quieto por alguns minutos e visualize a palavra LUZ vibrando em seu chacra frontal. Abra os olhos e fixe a chama da vela, sem piscar. Olhe a chama bem concentrado, a ponto de perder a consciência de seu corpo. Não deixe sua mente dispersar, pois sua atenção deve estar completamente fixada num só ponto.
Se seus olhos cansarem ou encherem-se de lágrimas, feche-os um pouco e descanse.
Porém, mesmo de olhos fechados, continue visualizando a chama mentalmente.
Depois de alguns minutos, abra os olhos e fixe-se novamente na chama real à sua frente. Permaneça fitando-a o máximo possível, até que sua mente misture-se com a própria chama.
Nesse ponto, podem ocorrer alguns sintomas bioenergéticos ou projetivos:
pulsação do chacra frontal, ballonnement (dilatação da aura), estado vibracional, entorpecimento do corpo, e outros.

Esta prática é bem simples e inócua, porém, deve-se evitar excessos. Não execute-a usando lentes de contato.

A respeito dessa prática, diz o Dr. Hiroshi Motoyama, brilhante pesquisador japonês dos chacras*** e da acupuntura, e também praticante de Ioga:
"Os benefícios de trataka são muitos: físico, mental, psíquico e espiritual.
Fisicamente, auxilia vistas fracas e certos defeitos visuais, inclusive a miopia. Ele acalma e estabiliza a mente, e também alivia a insônia. Além disso, desenvolve um poder de concentração necessário para a prática da verdadeira meditação. Os olhos são as portas da mente; quando os olhos estão firmes, a própria mente se torna firme, e o processo do pensamento cessa automaticamente à medida que a concentração se aprofunda. Trataka é um dos métodos mais eficazes para controlar uma mente agitada, absorta em ondas de pensamentos desconexos.
Este controle é um pré-requisito para a efetiva prática espiritual."

- Wagner Borges -
(Texto extraído do livro "Viagem Espiritual - Vol. II" - Editora Universalista -
1995.)

- Notas:
* Trataka - do sânscrito - fixação ocular.
** Coloque a vela acesa sobre um prato largo, para evitar risco de incêndio.
*** Hiroshi Motoyama é autor do excelente livro "Teoria dos Chacras" - lançado no Brasil pela Editora Pensamento. Inclusive, há um texto dele sobre a ativação dos chacras e as experiências fora do corpo postado no site do IPPB, no seguinte endereço específico:
http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=2353

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply