quinta-feira, setembro 16, 2010

SÓ NO CORAÇÃO...

(Na Luz de um Grande Amor)

Por Wagner Borges

Amor.
Sem palavras.
Só coração...

O que se sente.
E não se explica.
Por via alguma...

O que vale a pena.
Que faz a Luz acontecer.
E a música também...

A coisa mais linda de todas...
Que faz o lótus florescer,
Só no coração...

Amor perene,
Que não tem começo ou fim,
E que faz brotar estrelas no olhar...

O beijo do Eterno,
Sem palavras,
Só Luz rosada...

Canção das esferas siderais,
Que viaja pelo éter, e se escuta
Só no coração...

O que se sente...
Como um fogo doce e encantador,
Que queima sem abrasar...

A sarça ardente,
Que faz tudo acontecer,
No templo do Ser...

Amor...
Essência de tudo,
Só no coração...

Que enternece,
Que agradece,
Por tudo...

Só no coração...

P.S.:
Às vezes, eu escrevo sabendo das coisas.
Outras vezes, escrevo e nem sei os motivos reais disso.
E quando desce uma luz rosada aqui, eu nem sei de mais nada...
Porque o Amor só fala ao espírito, de formas secretas e admiráveis.
E isso é só no coração...
(E quem ama, de alguma forma, compreende*).

(Dedicado a Sry Aurobindo, Osho Rajneesh, Ramana Maharishi e Ramatís).

Gratidão.
Paz e Luz.

- Wagner Borges – mais espiritualista do que nunca...
São Paulo, 30 de agosto de 2010.

- Nota:
Enquanto eu escrevia essas linhas, rolava aqui no som o belo CD “Live At the Torubadour” (importado – U.S.A.), o mais recente trabalho do vocalista americano James Taylor – acompanhado ao piano e nos vocais pela vocalista americana Carole King. Trata-se de uma excelente gravação ao vivo, com uma seleção do melhor da carreira dos dois artistas, e com aquelas baladas suaves que falam direto ao coração.
Destaque para as músicas “Blossom”, “Fire and Rain”, e “Carolina In My Mind” (faixas 1, 3, e 10).


FALANDO SOBRE ERROS E LIÇÕES, NA LATA – II*

Ô, moleque, vê se toma um banho. Relaxe!
Você está com muita raiva acumulada no seu fígado.
E isso prejudica seriamente o livre fluxo das energias pelo seu corpo.
Porque a raiva forma fortes bloqueios na área hepática e deixa o metabolismo lento demais. E, de tabela, todo o organismo sofre as repercussões disso. E as pobrezinhas das células se danam para compensar o desajuste energético.
Aqui do Astral, vendo o seu caso, eu tomo a liberdade de lhe perguntar algo: “Porque é que você se irrita tanto?”
Às vezes, basta um pequeno contratempo para você explodir facilmente. Por acaso, você é feito de nitroglicerina?
E o seu fígado é a bucha de seus desmandos emocionais?
Moleque, sai dessa! Toma jeito logo.
Você ainda não se tocou que o seu tempo de vida na Terra é curto e que brigar tanto desgasta suas energias?
Quem o olha por fora, até pensa que você é homem. Mas quem o vê por dentro, sabe que o seu destempero emotivo o torna um moleque mesmo – não na acepção boa da palavra.
E eu vou dizer-lhe mais, direto, na lata: “Você se considera um injustiçado, não é mesmo?”
Mas, não é mesmo. Injustiçado é o seu pobre fígado, que paga o preço dos seus desmandos psíquicos. E também os seus funcionários, com os quais você grita tanto – e até os humilha, covardemente.
Aliás, você veste boas roupas e come em restaurantes razoáveis.
Então, de que injustiça você está falando?
Quer saber?... Você mesmo é que se detona. E ninguém tem culpa disso, só você mesmo.
Injustiçado é quem está passando necessidades, que, aliás, você nunca passou. Você sempre teve de tudo, e sequer agradeceu a sua família pelos recursos que eles sempre lhe deram.
Injustiçado?... Coisa nenhuma!
Você é um moleque ingrato e cheio de manha.
E só quando o seu fígado berrar, é que você entenderá os toques que estou lhe dando aqui.
Contudo, você ainda pode melhorar as coisas, se quiser. E não há receita para isso, não. É questão de quebrar sua arrogância e querer melhorar.
Pare de encrencar tanto. Flexibilize suas emoções. Releve mais as coisas. Não seja tão duro com as pessoas – e nem consigo mesmo.
E converse com seu fígado e lhe peça desculpas, por todas as lambanças emocionais jogadas nele. E vê se aprende a rir...
Então, depois de ler essas linhas, que é uma forma do plano espiritual alertá-lo, por favor, vá tomar um banho! Relaxe, para deixar de ser moleque.
E só quando você fizer as pazes com seu fígado e parar de ser reclamão, é que poderá dizer que é homem de verdade, com H maiúsculo.
O remédio que a Companhia do Amor receita para você é o mesmo receitado para todos: DOSES CAVALARES DE DISCERNIMENTO, NA VEIA!
Por favor, vá ler um livro ou escutar música boa. Compre flores, para você mesmo. E abra o seu coração e se dê uma chance de apaixonar-se de verdade por alguém.
Concluindo: Cresça! Para ser homem de verdade.

(Esse é um recado da Companhia do Amor para você, direto, sem circunlóquios, como de hábito. E foi pedido pelo seu fígado, que não aguenta mais suas confusões. Vê se aproveita os toques e passe a tocar a bola direito nos campos da vida...)

Sem mais delongas, a Companhia do Amor vai nessa!

- Companhia do Amor** –
A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Caxias do Sul, 04 de agosto de 2010.)

- Nota de Wagner Borges: Muito embora esse recado dos espíritos da Companhia do Amor esteja direcionado para uma pessoa da cidade de Caxias do Sul, na serra gaúcha, penso que o mesmo poderá ser útil para reflexão de outras pessoas – inclusive, eu mesmo. Então, estou disponibilizando-o em aberto para todos.

- Notas do Texto:
* A primeira parte desse texto pode ser acessada no site do IPPB – www.ippb.org.br -, no seguinte endereço específico:
http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9691:falando-sobre-erros-e-licoes-na-lata&catid=138:ultimos-textos-postados&Itemid=271
Obs.: Também sugiro ao leitor que leia o texto “Pequeno Recado do Fígado”, postado no seguinte endereço específico do site:
http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1998:pequeno-recado-do-figado&catid=78:cia-do-amor&Itemid=109
** A Companhia do Amor é um grupo de cronistas, poetas e escritores brasileiros desencarnados que me passam textos e mensagens espirituais há vários anos. Em sua grande maioria, são poetas e muito bem humorados. Segundo eles, os seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável. Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso. Querem que as pessoas encarnadas saibam que não existe apenas vida após a morte, mas, também, muita alegria e amor.
Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.
Para mais detalhes sobre o trabalho dessa turma maravilhosa, ver os livros "Companhia do Amor - A Turma dos Poetas em Flor – Volumes 1 e 2" - Edição independente - Wagner Borges, e sua coluna no site do IPPB (que é uma das seções mais visitadas no site): www.ippb.org.br.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply