terça-feira, junho 08, 2010

O VALIOSO TEMPO DOS MADUROS – de Mário de Andrade

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas..
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam
poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir
assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar
da idade cronológica, são imaturos.

Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo
de secretário geral do coral.

‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
minha alma tem pressa…

Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana,
muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com
triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua
mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.

E para mim, basta o essencial!

((((()))))

Fruta Madura
Nei Zigma


O dia nasce atrás da linha
Que circunda a nossa casa
É o sol que nos acorda
Na hora clara da luz contente

Eu vim florescer
Eu vim florescer
Eu vim florescer
Tua juventude
Eu vim florescer
Eu vim florescer
Eu vim florescer
Tua plenitude
Eu vim florescer
Eu vim florescer
Eu vim florescer
Fruta Madura

Nas mais idades
Pra que tu cresças
Pra que tu vejas
Tua real idade
E o dia corre
No infinito
Com a luz do palco
Do meio dia
E o dia corre
No infinito
Criando a pausa
Do sol a pino

Eu vim ascender
Eu vim ascender
Eu vim ascender
A tua alma
Eu vim ascender
Eu vim ascender
Eu vim ascender
A tua calma
Eu vim ascender
Eu vim ascender
Eu vim ascender
Fruta madura
Tua procura
Na claridade
Nos segue os olhos
Da real idade

E o dia roda
Discorre o tempo
Em cada instante
Do teu segundo

E o futuro
Se faz passado
Se faz presente
Reciclando tudo

Para anoitecer
Anoitecer
Anoitecer
Tudo ao seu tempo
Para anoitecer
Anoitecer
Anoitecer
Bem longe do medo
Para anoitecer
Anoitecer
Anoitecer
Tua luz pura

Em teu momento
Fruta madura
Prepara a alma
Lá vem a lua

Lá vem a lua
Lá vem a lua
Lá vem a lua
No teu momento
Lá vem a lua
No firmamento
Clareia o facho de esquecimento

Para florescer
Para florescer
Para florescer
Tua juventude
Para florescer
Para florescer
Para florescer
Tua plenitude
Para florescer
Para florescer
Para florescer
Fruta madura

Pra que tu nasças
Pra que tu cresças
Pra que tu sejas
Tua nova idade

Notas sobre o autor da canção:
O cantor e compositor Nei Zigma se apresenta na cidade de São Paulo desde 1999. Seu repertório é fruto da união da poesia e da música popular brasileira, que costura com a sonoridade singular da sua voz a simplicidade dos versos e trovas. Revelando sua brasilidade como herança dos cantos populares, Nei Zigma acompanha-se ao violão composições de sua autoria, canções de Domínio Público, MPB, jazz e trilhas para dança e teatro. Atualmente integra o elenco da Cia. Scripti de Teatro.
Mais canções do compositor Nei Zigma:
http://www.reverbnation.com/neizigma

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply