quarta-feira, junho 30, 2010

MOVIDO A BUNDA

Desde moleque, todas as conversas que tive sobre mulheres com meu pai, meus irmãos mais velhos, tios, parentes e amigos, podem ser resumidas assim:

" A mulher não tem nada a mais a oferecer a você do que o prazer que ela pode te proporcionar ou a beleza que você pode mostrar ao mundo"

Sim, mulheres! Fui, fomos e somos, todos os homens, ensinados assim, a ver todas vocês como um fim. Somos "movidos à bunda", termo que meu amigo Wagner Borges, esses dias numa palestra, usou.

Não, homens! Ao dizer isso, não estou entregando as regras do jogo, estou apenas contando que ao sermos criados assim, não somos preparados para amar, respeitar e cuidar de quem esta ao nosso lado, e sempre aprendemos da pior maneira - ficando sozinho - que a mulher é mais do o corpo que tanto buscamos, o rosto de capa de revista que tanto procuramos para exibir aos nossos amigos, como se elas fossem um troféu de futebol. Na verdade, ao fazermos isso, estamos exibindo a medalha olímpica da nossa ignorãncia em relação a elas, pois a mulher é um conjunto de um pouco de tudo, um lago de firmeza para a nossa masculinidade.

Verdade, não há um Grande Homem sem ter tido uma MULHER GIGANTE nos bastidores, trabalhando em silêncio para que o seu homem pudesse ser quem ele tanto almejava se tornar; e é nisso que reside, da mulher, a sua principal virtude, esconder a sua importância na discrição, no silêncio da ajuda ao seu homem.

Essa crônica de título tão explícito poderia se chamar " Ode a Elas" ou "Tributo a Mulher", mas prefiro manter o título como está, pois não quero me esquecer e esse alerta serve para lembrar a todos os homens para não descuidarem da companheira que esta ao seu lado para valer. Por isso, escrevo e digo: obrigado, mulheres Por cuidarem e não desistirem da gente, mesmo quando estamos doentes de corpo, da alma e da mente.

E amigos homens que movem-se por instintos, não há pecado que não seja também divino, mas provem a vocês mesmos que vocês são mais do que isso, e ao invés do sexo por sexo, de estar com alguém que é bela por fora e oca por dentro, procurem quem é bela por inteira, pois somente essas mulheres, podem nos ajudar a sermos movidos por amor e nos tornarmos homens por inteiro.

terça-feira, junho 29, 2010

RECORDANDO SONHOS

"Quando criança,
Eu tinha alguns sonhos,
Cuja lembrança,
Hoje me cura
De algumas dúvidas,
Pois reconheço
Que eles eram lembranças
De uma outra aventura
Dentro de mim mesmo,
E não apenas
Devaneios
Da minha infãncia."


Não sei se era sonhar,
mas estive num lugar,
onde as minhas perguntas eram respondidas
de uma maneira tão simples,
que todo o meu duvidar
começou a sumir do meu pensar,
pois, no lugar
do meu sangue nas veias,
pude sentir
o Divino fluindo de um jeito assim,
que eu simplesmente sabia de onde vim,
para onde vou
e me dei conta
de que essas respostas não fazem o menor sentido
diante da beleza do Eu Sou,
perante o presente
de viver nesse instante;
daí, sorri:)
e quando acordei,
percebi,
que o sol do dia nasceu primeiro
dentro de mim.

segunda-feira, junho 28, 2010

Cai Balão

Cai, cai balão
Cai, cai balão
Cai aqui no hospital!

Toca fogo, toca fogo,
Toca fogo;
Mata um e queima Dez!

Cai, cai balão
Cai, cai balão
Cai aqui no meu morrão!

Incendeia, incendeia,
Incendeia;
Mata dez e queima mil!

domingo, junho 27, 2010

Contumaz

Por Renato Braz

Quanto mais eu vivo
Mais olho pro mundo
Mais eu dou risada
E no fundo da alma
Me dá uma coceira engraçada;

Ai, ai!
Que acaba doendo;


Dor de ver meu povo virando lata
E esta terra verde e mulata
Virando deserto
Na mão dos piratas;

Ai, ai!
E nem Deus tá vendo;


Quanto mais eu penso
Mas meu coração se entristece
Quanto mais eu rezo
Mais assombração me aparece
E se a lucidez me cega
A cegueira me faz ver
Quanto mais a vida nega
Mais vontade de viver;


Contumaz, me explico
Mais desconfio,
Mais entendo nada
Confiro o que sinto
E mantenho as orelhas empinadas;

Ai, ai!
Pra assuntar o tempo


Tempo vai somando
E eu tô pressentindo que a hora não tarda
De a gente montar no destino
E apontar p'ruma estrada;

Ai, ai!
Que leva a nós mesmo

Notas:
Renato Braz

Imaginem São Paulo repleta de toadas, luares do sertão e moças da roça, onde a poesia de Catulo da Paixão Cearense e a prosa de Guimarães Rosa inspiram versos sobre a cidade onde “a natureza é meio morta”. A música de Jean e Paulo Garfunkel é capaz de conceber este universo bucólico sobre a dura poesia concreta dessas esquinas. Totalmente dedicado às canções dos irmãos Garfunkel, Por Toda a Vida é o quinto álbum do cantor Renato Braz, o primeiro pela Biscoito Fino.

“Esta visão é a cara deles. Jean e Paulo são urbanos, mas com os olhos inteiramente voltados para o sertão. Me identifico muito com isso, sou um cara da metrópole, cheguei a ser Office-boy em São Paulo” - conta Renato.

Curiosamente, no início de sua carreira, quando cantava nos bares de Sampa, Renato costumava ter na platéia um ilustre espectador. Era o próprio Jean Garfunkel, que volta e meia ia assisti-lo interpretar sua Passarinheiro, sem que o cantor soubesse que era o próprio compositor quem o contemplava: “Não tinha a menor idéia de que o Jean freqüentava meus shows. Anos depois, quando vi a dupla se apresentar no prêmio Visa, tive a idéia de dedicar um álbum inteiro a eles” - explica Renato Braz.

O cantor levou quatro anos pesquisando o repertório: “A maioria das canções é inédita. Já conhecia músicas dos Garfunkel cantadas por Elis, Zizi Possi, Ronnie Von, Pena Branca e Xavantinho, mas pesquisei o repertório com amigos e os próprios autores e fui descobrindo coisas incríveis” – revela.

Apesar do sobrenome sugerir qualquer semelhança com o conhecido personagem de Adoniran Barbosa, a música de Braz passa longe de samba do Arnesto e demais referências típicas da canção paulistana. O cantor desperta para o Brasil interiorano, num álbum repleto de violas, violão de 10, acordeom. O disco tem participação especial de Mônica Salmaso (em Soldadinho de Chumbo), da Banda Mantiqueira (Calcanhar de Aquiles), além de Dori Caymmi, que assina os arranjos e violão em As Águas Sempre Vão, Por Toda a Vida, Aconteceu de Eu me Esquecer e Mágoa, nesta cantando junto com Renato.

Avenida São João explora as contradições da metrópole, citando um Guimarães Rosa sertanejo, para quem “viver é muito perigoso”, sobretudo quando “da janela do último andar / a cidade se suicida / é dificil não se jogar”. Mas Renato mostra que também é de samba, na interpretação de Em Suma, onde também ataca no surdo. Contumaz é toada típica, sob a voz potente de Braz e a viola de Ivan Vilela. O disco abre espaço ainda para a Marcha Nupcial, de Wagner, numa versão pra lá de livre dos irmãos Garfunkel.

Uma das mais belas canções do disco, Menino Quieto tem arranjo e piano do maestro Nelson Ayres, embalando a canção de ninar que insere Guimarães Rosa no universo infantil, em contraste com Calcanhar de Aquiles (lançada por Elis Regina no fim dos anos 70), com o suingue visceral da Banda Mantiqueira, em arranjo de Edson Alves. No encarte do CD, dois textos inéditos, um de Jean (Amiúde), outro de Paulo (O Homem que Calculava): “nem sei se eles pretendem musicá-los um dia. Encontrei esses textos em minhas pesquisas e resolvi incluí-los para que sejam apreciados como quem lê um livro” – arremata.

Fonte: http://www.biscoitofino.com.br/bf/cat_produto_cada.php?id=219

sábado, junho 26, 2010

A BUSCA

Procurar fora,
Passar a vida inteira nessa busca
É um tiro no pé,
Um grilo na cuca;
Que poderia ter sido evitado
Se você tivesse ouvido
O básico:
“Conheça-se a si mesmo”


A BUSCA II
Ainda ontem
Eu era apenas
Um sopro de vida
Sem forma
Sem expressão
Sem poesia
Eu apenas era
E isso se bastava
Quis a Força Maior
Que eu virasse forma
Que eu tivesse uma expressão
Que eu me tornasse poesia
E estranho
Pois isso em si já não me basta
Junto com a carne
Veio uma vontade
De me tornar algo mais
Talvez quem eu já era
Antes de ser sopro de vida
Na Terra
Na carne
E querendo tornar a ser
Desconfio
Que descobri
Que aprender é lembrar
Que eu sou
Não apenas um sopro de vida
Mas o próprio sopro

A BUSCA III

Nessa dimensão de expiação
O mistério nunca será revelado
Não por ser oculto
Não por ser proibido
Mas porque não temos sentidos
Para desvendar o velado
Compreender o sentido
Da nossa existência
Na carne
Seria como tentar explicar para uma formiga
Que ela faz parte de um universo
Por isso de nada vale o esforço da ciência
Em transformar o Homem em apenas isso
Pois
Dentro da gente
Há a semente
De quem somos
Esperando pela água do despertar
Para nos lembrar
Que antes de sermos
Feitos de corpo
Éramos feitos de algo que não sei contar
Mas o que posso dizer
É que quem já morreu sabe disso
Pena que eles não podem voltar para contar!

UPLOAD

Quero estabelecer uma conexão
que não caia,
Subir o meu coração
em vibrações,
Através da banda larga
da compaixão,
Só para lembrar
que sempre,
Estive interligado
Com a rede do amor,
E por mais que eu tenha
A ilusão que estou desconectado,
Basta um pensamento
Para eu ser elevado
A Casa do Criador.

"Are you going to finish strong?".



http://LifeWithoutLimbs.org

Nick Vujicic and his attitude serve as a great examples of the celebration of life over limitations.

The human spirit can handle much more than we realize.

"I LOVE LIVING LIFE. I AM HAPPY."

----------------------------------------------------------------

Think you've got it bad?
Need some encouragement?
Fallen down?
Can't find the STRENGTH to get back up?

Watch this video. It will help. Then share it with others.

----------------------------------------------------------------

"If I fail, I try again, and again, and again..."
If YOU fail, are YOU going to try again?

It matters how you're going to FINISH...
Are you going to finish STRONG?

We are put in situations to build our character... not destroy us.

The tensions in our life are there to strengthen our convictions... not to run over us.

----------------------------------------------------------------

Nick is thankful for what he HAS.
He's not bitter for what he does NOT have.

I have never met a bitter person who was thankful.
I have never met a thankful person who was bitter.

In life you have a choice: Bitter or BETTER?

O TOMBO

Para onde foram as fadas?
Por que os passarinhos não cantam?
Quem cobriu as nuvens de cinza?
Por que Deus me deixou sozinho?

Cai assim, nesse lugar dentro de mim
Onde há ausência de quem sou

De onde veio o redemoinho? A turbulência?
O vôo estava tão tranqüilo...

Será que veio de dentro?
Ou foi a boca de alguém soprando esse vento?

Onde estava o meu guia?
Porque não veio quando precisei
Não sei!

Não era para ser assim!
Compreendam: não banco o coitadinho de mim!

Mas fui deixado no meio da batalha
Sozinho
Ferido
Caído
Minhas asas se tornaram escamas
No mar de lamas do nada
Até que criei forças
E levantei sozinho...

FINGIU QUE NÃO ENTENDEU A PERGUNTA

sexta-feira, junho 25, 2010

A VERDADE MUDA

"Não sou eu quem navega o mar,
É o mar quem me navega"


Eu que me vesti de teoria,
cacei verdades,
criei mitos;
Persegui pistas para compreender
A razão da minha existência na Terra;
Fiquei de boca aberta, cai do cavalo,
Mas abri a testa
E ví:
Na surpresa da familiaridade,
Que eu sempre soube que a vida na Terra,
Era apenas uma
Das milhares
De manifestações da vida
e da realidade;

Realidade que ocorre agora mesmo
Tanto aqui quanto em outras planetas,
Daí, foi por água ao barro,
A minha certeza
De que algum dia
Teria
A posse da Verdade Divina
Que me explicaria o que é a Vida;

E o que é a vida,
Se não um eterno surpreender-se
Jogar-se
Na dança do sempre mudar-se,
No ritmo das multipossibilidades;

Se muda a largarta,
O camaleão,
A flor,
Por que deveria ser permanente
O pensamento desse bicho homem?
É sempre o mesmo, o amor?

Mas ser bicho homem tem dessas coisas,
Nascemos com vontade de descobrir
o que veio antes
e o que virá depois
E a gente ri
Quando se lembra
Que nos esquecemos
que é no presente
Que o Todo se revela
O tempo inteiro;

Vai ver
leva todo o tempo mesmo
Que temos
Para
Compreender
Que o bom viver é não querer entender,
É deixar o mar te navegar,
Sem querer controlar a ordem,
a verdade e o fluxo das coisas que há,
Compreender
Que diante dos segredos
Muda o mundo
E quem fala fica mudo,
Pois
Nem sempre teremos
Um ponto final sobre essas idéias,
E, talvez, seja por isso que existe
As reticências...

Dunga em UM DIA DE FÚRIA!

O que realmente aconteceu na coletiva de imprensa com o técnico Dunga e a Rede Globo. Tudo que a Tv não mostrou.

Criação de @Pablo_Peixoto a partir de uma idéia de @alexpopst

Clipe de "Twittero é Vagabundo"

Segundo a Agência Paraibana de Notícias, o governador da Paraíba José Maranhão (PMDB) mais uma vez xingou usuários do Twitter. Dessa vez, o político disparou: “Enquanto eles twittam eu trabalho”, recado endereçado ao ex-governador do estado Cássio Cunha Lima (PSDB). Antes, o político teria dito, em discurso na cidade de Campina Grande, que o microblog é coisa de vagabendo. As declarações resultaram no bem humorado clipe "Twittero é Vagabundo", vídeo que (aposto) deve virar webhit e deve ter sido feito por um vagabundo de plantão, hehe...

quinta-feira, junho 24, 2010

CALA BOCA GENTE

Nos idos da internet, com uma caixa postal que mal armazenava uma denzena de e-mails e uma conexão de fritar ovos, eu tinha que enfrentar o desafio de receber correntes malescritas enviadas por dezenas de amigos:

" Ajude Astrogilda, uma menina de Moçambique que tem elefantiase no cérebro. Deposite $$ na conta XXXX e esse dinheiro será usado para ajudá-la"

" Lata de refrigerante causa impotência"

" A Eletropaulo vai cortar a energia durante o jogo do Brasil"

E no final do e-mail ( sim, eu lia até o final), o "amigo cara-de-pau" pedia para que encaminhassemos aquele e-mail para o máximo número de pessoas que fosse possível. Enquanto eu deletava aquele lixo, em algum outro canto da rede, outros tantos repassavam aquela corrente para outros tantos coitados, sem saber que ao fazer isso, estava ajudando a enganar pessoas, alimentando a indústria do SPAM que estava sendo criada e abusava da ingenuidade ou da burrice do novo-internauta.

No fundo, eu sabia que quem encaminhava esse tipo de bobagem tinha uma boa intenção e queria contribuir para o coletivo, porém, como diria o meu amigo, Wagner Borges, "há uma diferença bem grande entre BONZINHO e BOBINHO". Portanto, desde aquela epóca, mesmo sem isso constar no manual da internet, muita gente foi sacando que o pedido de ajuda financeira de um certo Rei destronado na África ou que aquelas mensagens do seu banco te pedindo informações sigilosas tinham um Q de estranho e outros tantos C de golpe.

No meu caso, não sei se meus amigos ficaram mais espertinhos, mas já faz um tempinho que não recebo corrente em minha caixa postal ( se bem que de vez em quando, alguém manda um powerpoint enfadonho que vai direto para a minha lixeira), mas surgiu uma nova praga na rede que virou febre nacional, as correntes via twitter ou facebook do tipo:

" CALA A BOCA GALVÃO"
ou
" O DUNGA É UM ANÃO INFELIZ"
ou
" VAMOS BOICOTAR A GLOBO, NÃO ASSISTINDO ANA MARIA BRAGA"

E eu não deveria, mais ainda fico surpreso com o número de pessoas que "retwittam" essas frases e fico me perguntando qual é a razão para alguém reproduzir isso sem parar para pensar no que está reenviando para todos os seus amigos. Depois de muito pensar nisso; hoje, pela manhã, confesso, que tive uma revelação: me dei conta que, geralmente, quem adora participar nesses movimentos populares, são os mesmos indíviduos que repassavam as correntes de antigamente, e que ainda encaminham os powerpoints para milhões de amigos.

É claro, que participar de um evento em massa e erguer a bandeira com a frase "TENHO RAIVA DA COCA-COLA" rende muito comentário em redes sociais e até conversas de bar, contudo, se esse sujeito quer mesmo contribuir para o coletivo, ter o seu nome conhecido, por que não produz algo? Por que apenas reproduz o que os outros dizem, sem discernimento o suficiente para compreender que ao fazer essa repetição de mensagem tola, esta apenas seguindo como gado, peixe em cardume de palavras. Uma coisa é compartilhar algo legal, uma frase ou mesmo uma mensagem, outra bem diferente é nunca mandar um oi para um amigo ou um "como vai você?" para um colega que não vemos há tempos, preferindo apenas repassar mensagens, frases e essas correntes modernas.

VAMOS PRODUZIR ALGO, MOÇADA!

Muita gente pode afirmar que isso na verdade é divertido. E que não existe nada mais legal que ir com a galera num unissomo, num grito de guerra, e espalhar aos quatro cantos "SEU DELEGADO PRENDE O TADEU", porém, já pensou se fizessemos o mesmo movimento pela tragédia que está abatendo o Nordeste ou se, ao menos, exigissemos que os anões de Brasília parem de abusar da nossa Verde de Neve?

Ok, reconheço que estou perdendo a esportiva, já não tenho tanto saco assim para aguentar tanta ignorância coletiva, mas só para provar que estou ao menos tentando mudar e seguir o exemplo de todos, vou me contradizer e enviar para todos vocês essa mensagem.

E vou mais longe ainda: vou criar uma corrente!

Quero pedir a todos os amigos que reproduzam o link que contem essa mensagem para todos os seus conhecidos e familiares; que reencaminhem esse texto para todas as listas da internet que vocês consigam:) - sim, você mesmo que está lendo: imprima; distribua o máximo que você conseguir e se você fizer isso ( ou se ao menos, sentir vontade de fazer isso) eu vou estar provando uma teoria que eu aqui tenho que ninguém compreende mesmo o que é ironia.

E quem não fizer isso, vai ter a sua caixa postal lotada com mensagens idiotas ou a sua página de twitter repleta com a mesma frase por sete anos.


(((())))

Notas do autor: pensando nesse assunto, lembrei de um texto bem bacana que li faz alguns anos "OS SETE TIPOS BASICOS DE CORRENTES", e, pasme, ainda não perdeu a graça. Como todo o texto que eu recebia na epóca, esse veio sem autor, assinado apenas com o singelo nome de "Anônimo", portanto, quem souber o autor, entre em contato, para que eu possa colocar os devidos créditos:

(((()))))

*********************************************************
OS SETE TIPOS BASICOS DE CORRENTES


CORRENTE No.1: (vá descendo)





Faça um pedido!!!








Sério, faça um pedido!!!








Deseje outra coisa!!!!!








Não isso, idiota!!!







Peça outra coisa! Rápido!!!







Pare!!!

Não foi divertido? Espero que você tenha feito um ótimo pedido!!! Agora, para você se sentir culpado, aqui esta o que eu vou fazer.

Primeiro, se você não mandar essa mensagem para 5.096 pessoas nos próximos 5 segundos, você vai ser atacado por um bode maluco e então atirado do topo de um prédio em um monte de m... e verdade! Porque, você sabe, esta corrente não eh que
nem todas aquelas outras falsas, esta eh verdade ! Funciona assim:

- Mande esta carta para 1 pessoa: uma pessoa vai ficar brava com você por ter mandado uma corrente idiota.

- Mande esta carta para 2-5 pessoas: 2-5 pessoas vão ficar bravas com você por ter mandado uma corrente idiota.

- Mande esta carta para 5-10 pessoas: 5-10 pessoas vão ficar bravas com você por ter mandado uma corrente idiota.

- Mande esta carta para 10-20 pessoas: 10-20 pessoas vão ficar brava com você por ter mandado uma corrente idiota.

- Mande esta carta para 20.674.951 pessoas: 20.674.951 pessoas vão ficar bravas com você por ter mandado uma corrente idiota.

Obrigado! Boa sorte!!!


CORRENTE No.2

Olá, e obrigado por ler esta carta.

Tem um garoto faminto em Baklaliviatatlaglooshen que não tem braços, não tem pernas, não tem pais, e não tem bodes. A vida deste menino pode ser salva, porque cada vez que você mandar essa mensagem, um dolar sera doado para o Fundo Baklaliviatatlaglooshenense Para Garotos Pernetas Manetas Orfãos e sem Bodes (FUBAPAGAPEMOBO).

Lembre-se, nos não temos nenhuma maneira de contar quantas cartas foram mandadas e isso eh tudo bobagem, entao, mande para 5 pessoas nos próximos 47 segundos.

Ah, um lembrete - se você mandar acidentalmente para 4 ou 6 pessoas, você morrerá instantaneamente! Obrigado!

CORRENTE No.3

Ola! Esta corrente existe desde 1897. Isto é absolutamente incrivel pois naquela época não existiam e-mails e crianças de 8 anos que inventavam correntes. Então, funciona da seguinte maneira. Passe para 15.067 pessoas nos proximos 7 minutos ou alguma coisa horripilante acontecerá com você, como aconteceu com essas pessoas:

- Historia de Terror Idiota #1

Miranda Pinsley estava voltando do colegio a pe no sabado. Ela tinha recentemente recebido esta carta e a ignorou. Então ela tropecou numa pedra solta na calcada e caiu dentro do esgoto, e morreu. Isso pode acontecer com você!!!

- Historia de Terror Idiota #2

Dexter Bip, um garoto de 13 anos, recebeu uma corrente no seu e-mail e a ignorou. Mais tarde, no mesmo dia, ele foi atropelado por um carro e sua namorada também. Ambos morreram. As familias dos dois estavam tão tristes que todos os seus parentes ficaram loucos e passaram o resto da vida num manicomio. Isso pode acontecer com você!!!

Lembre-se, você pode acabar como Pinsley e Bip. Simplesmente mande esta carta para todos os seus amigos fracassados, e tudo saira bem.

CORRENTE No.4

Este é um poema que eu fiz. Mande para todos os seus amigos.

Amigos

Um amigo é alguem que esta sempre ao seu lado,
Um amigo é alguem que gostade voce mesmo você sendo fedorento,
Um amigo é alguem que gosta de voce mesmo você sendo horrivelmente feio,
Um amigo é alguem que te limpa depois que você se mijar nas calças.

Um amigo é alguem que fica com você toda noite enquanto voce se lamuria sobre sua vida fracassada,
Um amigo é alguem que finge que gosta de você mesmo achando que você deveria ser
atacado por um bode maluco e entao ser atirado do topo de um predio num monte de m...
Um amigo é alguem que limpa o seu banheiro, passa o aspirador, pega o cheque e vai embora.
Não, desculpe, essa eh a empregada...
Um amigo nao eh alguem que manda correntes porque ele quer que o seu desejo de ficar rico se realize.

Agora, passe isso adiante !


CORRENTE No.5

Este e-mail é super legal! Ele comecou pela Microsoft para testar seu programa de rastreamento de e-mail, porque, você sabe, uma empresa de software hi-tech grande como a Microsoft sempre manda seus programas novos e importantes para todos os idiotas que sabem operar um computador, certo?

E além do mais, ele fizeram uma parceria secreta com a Disney, que concordou em perder milhoes de dolares para dar para todo mundo que ler este e-mail, passar adiante, olhá-lo, conhecer alguem que tenha lido, ser parente de alguem que seja amigo de alguém que o leu, UMA VIAGEM TOTALMENTE GRATIS para a Disneyland, DisneyWorld ou EuroDisney!

Entao, passe isso para todos que você conhecem que sejam ingenuos o suficiente para acreditar nisso. Mesmo que você perca todos os seus amigos porque eles estão cansados de receber de você cartas-corrente, você ainda tem a chance de ir pra Disney! E, caso você nao mande esta carta, a Microsoft vai mandar seus bodes assassinos para destruir sua casa e comer sua familia, então MANDE ESTA CARTA!!!


CORRENTE No.6

AVISO DE VIRUS!!!!

Se você receber um e-mail entitulado "Badtimes", apague-o imediatamente. Não o abra!

Aparentemente este é bravo. Ele não vai apenas apagar tudo que estiver no seu HD, mas tambem vai apagar todos os disquetes, CD-ROMs, Zip Disks e DVDs num raio de 20 metros de seu computador. Ele vai desmagnetizar todos os seus cartões de crédito, mudar sua senha no banco, estragar o tracking do seu video-cassete e vai usar campos harmonicos sub-espaciais para arranhar todos os CDs que voce tentar ouvir.
Ele vai mudar a temperatura do seu refrigerador para que seu sorvete derreta e seu leite talhe, e ele vai programar a discagem automatica do seu telefone para que ele so ligue para sua sogra! Muito cuidado!

Passe isso para todos os seus amigos, parentes, vizinhos, familia, inimigos, encanadores, lixeiros, acionistas, medicos, advogados, e quaisquer conhecidos! Eh para o proprio bem dele! Obrigado!

CORRENTE No.7

Aqui esta um lindo desenho que eu fiz:

(\ /)
( \ / )
( \ / )
( /<\ ) (/ \/ \) / \ ( ) ( ) ~~~~ Eh um anjo decapitado. Mande ele para todos os seus amigos para iluminar o dia deles, assim como iluminou o seu! Se você nao mandar, bodes possuidos pelo demônio vao se mudar para sua casa e comer todas as suas meias, fazendo você pensar que alguma coisa esta errada com sua máquina de lavar, porque suas meias sempre desaparecem. Tenha um bom dia! Obrigado por ler! MORAL DA HISTORIA Faça um favor a si mesmo, a todos os outros habitantes do mundo, e diga: "NÃO `AS CORRENTES!!" P.S. Vamos fazer uma corrente pedindo o fim das correntes! Mande esse e-mail para todo mundo que você conhece. Senão...

quarta-feira, junho 23, 2010

AS FACES DA MÃE DIVINA

Numa dessas meditações,
Do dia-a-dia,
Tive um encontro
Com Iansâ e Durga,
As duas faces guerreiras
Da Mãe Divina,
mas reclamei:

- Puxa vida, Mãe Minha!
Eu quero o colo de Oxum e Parvati
ou
o carinho de Iemanjá e Lakshmi.
Vindo assim,
a Senhora me assusta!

Elas riram
e antes que eu visse
a Kali delas,
Eu Nanã dali!

Tempo de gaveta

Por Luís Fernando Veríssimo

Ele se apresentou como escritor. Antes que eu pudesse perguntar o que já tinha publicado, acrescentou:

- Inédito.

Escrevera um romance, mas ainda não o publicara. Lera num artigo que os livros precisam de um "tempo de gaveta". Antes de publicar o livro, o autor deveria colocá-lo numa gaveta e esperar. Depois de um certo tempo, poderia ler o livro com distanciamento crítico e só então decidir se ele merecia ou não ser publicado. Depois de um certo tempo, afirmava o artigo, o livro seria outro.

- E foi o que você fez?

- Foi. Escrevi um romance curto, meio autobiográfico como a maioria dos primeiros romances. Achei que ele estava bom, pronto para ser editado. Mas hesitei. Talvez fosse melhor esperar para ler o livro mais tarde, com frieza, e só então decidir editá-lo. Ou não.

- E você botou o livro numa gaveta.

- Botei.

- Por quanto tempo?

- Quase dois anos.

- Dois anos? E durante todo esse tempo não teve vontade de pelo menos espiá-lo?

- Tive, mas resisti. Finalmente, abri a gaveta e tirei o manuscrito. Já estranhei o peso. Meu pequeno romance aumentara de tamanho. Comecei a ler e não reconheci o que tinha escrito. Em vez da minha cidade e das minhas experiências como adolescente, a história se passava na Rússia czarista. Procurei em vão pelas cenas da minha iniciação sexual com a babá do vizinho e não encontrei. Mas encontrei o Napoleão Bonaparte!

- O seu livro se transformara em...

- "Guerra e Paz", pois é. Ou coisa parecida. Pensei que tivesse enlouquecido. Fechei a gaveta e passei mais dois anos sem abri-la. Com medo de que aquele meu delírio fosse verdade e eu estivesse mesmo louco. Até que um dia...

- Você abriu a gaveta de novo...

- Não, a gaveta se abriu sozinha. O tamanho do manuscrito forçara a gaveta a se abrir. Meu nome continuava na primeira folha, mas o resto do manuscrito, que daria uns seis volumes, era de reminiscências de um francês... Um romance meio autobiográfico, como o meu, mas a semelhança terminava aí.

- Proust?

- Proust. Botei este manuscrito numa gaveta maior. Esperei mais um ano. De vez em quando dava uma espiada, para ver no que meu pequeno romance estava se transformando desta vez. Um dia, criei coragem, abri a gaveta e peguei a primeira folha para ler. Começava assim: "No princípio Deus criou os céus e a Terra..."

- A Bíblia!

- E com minha assinatura. Fechei a gaveta imediatamente. Passei meses sem abri-la. E então, anteontem, decidi. Abri a gaveta, disposto a acabar com aquela brincadeira. Eu não era um louco. Aquilo não podia estar acontecendo. Abri a gaveta e encontrei...

- O quê?

- Meu romance. Meu pequeno romance, como eu o havia deixado tantos anos antes.

- E você vai finalmente publicá-lo?

- Não sei...

- Porquê?

- Acho que as gavetas estavam querendo me dizer alguma coisa...

Texto publicado na edição do Estado de São Paulo de 18 de Abril de 2010

O plantar e o colher (Belo Hino do Daime)

Meus irmãos, eu vim aqui
à todos esclarecer,
o belo jogo da vida,

que é plantar e colher;

Quem planta colhe,

colhe tudo o que plantou,
vamos plantar sempre

a semente do Amor;

A sementeira está,

dentro do seu pensamento,
semente boa ou ruim,

se planta a todo momento;

Preste atenção à semente do perdão,
que dá frutos que alimenta o coração;

O Tempo vem nos mostrar,

quem plantou certo ou errado,
nos traz a pura verdade,

dos atos lá do passado;

O Tempo passa e não espera ninguém,
o Pai Eterno logo vem colher também;

Todo mundo é livre,

pra plantar o que quiser,
e construir o seu ser,

com os frutos que vai colher;

Vamos plantar como plantou o meu Jesus,
plantou Amor e adubou com a Santa Luz ;

Viva Cristo sorrindo,

nas alturas onde está,
tanta gente vem vindo,

só para lhe louvar;

Jesus Cristo é a semente do Amor,
brota da alma do nosso Pai Criador.

(ofertado por Júlio César para o Vô Corrente)

terça-feira, junho 22, 2010

O MESMO

Eu conhecia aquele sujeito cochilando à minha frente. Ele deveria estar muito cansado, só assim para conseguir dormir com o todo aquele sacolejo e zigue-zague do ônibus.

De onde eu estava, conseguia observar quase todos na condução - gosto disso - fico imaginando a vida de cada pessoa que vejo, de onde vem, para onde vão e se algum dia eu os verei novamente na vida.

Aquele sujeito, porém - cabeça encostada no vidro, um livro dançando em seu colo - era tão familiar: cabelo curto, crespo e castanho, pele morena, magro e baixo, cavanhaque ralo e sombrancelha grossa. Seu nome estava na ponta da memória, quase saltando pelo pensamento e caindo na língua.

- Você conhece aquele homem? - perguntou um senhor grisalho que estava ao meu lado. Achei a pergunta estranha, mas respondi assim mesmo, surpreso por eu estar também sendo observado.

- Acho que sim! - disse a ele - Ele é ... - mas antes que eu pudesse responder o nome do sujeito, o ônibus freiou para evitar bater no carro da frente, com o impacto, bati a cabeça no vidro e acordei, para descobrir que eu estava observando a mim mesmo.

Ventos e Luzes

Tudo estava escuro,
Mas senti o vento,
Como um sopro terno
No meu rosto batendo;

E ouvi uma voz
Que vinha de dentro,
Dizendo:


" Chega de sofrimento
Receba a luz
Que é alimento"


Então, abri os olhos,
E acabou-se o tormento,
A cegueira que parecia eterna
Virou apenas um momento;

Antecedendo
Meu despertar
Em outro Tempo.

ALGO MAIS... UMA LUZ, UM AMOR – VI*

By Wagner Borges

Porque você acha que eles morreram?
Só porque foi ao velório de seus corpos?
Só porque os seus olhos não os vêem?
Porque os seus corpos tombaram na terra, os espíritos que cantavam ali emudeceram para sempre?
Não, porque eles não morreram! E agora cantam lá em cima, para as estrelas.
E dá para escutar a canção deles, mas não com os ouvidos da carne, e sim com os sentidos do espírito, na Luz do coração.
Eles não morreram mesmo! Apenas foram morar em outros planos de manifestação...
E não se esqueceram de seus entes queridos. Pelo contrário, continuam amando e torcendo pelo melhor a favor de todos. E podemos senti-los, em nossos corações.
Sim, por entre os nossos pensamentos e sentimentos... Porque o Amor atravessa os planos e tem a Força do Espírito, calcado em sua própria imortalidade.
Há uma Luz sutil em cada coração. É a essência de cada um. E é imperecível.
Quando chega o tempo final do corpo, ela se desprende e volta para casa... Lá nas estrelas. Tudo o que vivenciou e aprendeu na vida está registrado em sua consciência.
É valor perene incorporado ao seu Ser. E os sentidos do corpo denso não podem percebê-la, pois a sua natureza é a da Luz mais pura.
Ah, eles só podem ser percebidos em espírito, por entre as batidas do coração que medita e sintoniza o Alto.
E, quando alguém lhes dedica uma prece ou uma canção, eles ficam muito contentes.
Porque sabem que o coração fala ao coração... E a Luz chama a Luz, no mesmo Amor.
Eles não estão enterrados em lugar algum!
Porque os seus corpos espirituais** flutuam na Luz do Céu e eles voam bem alto... Para além da linha do horizonte, como gaivotas de luz.
Eles não morreram! E as risadas deles não se apagaram.
Não, não! Eles agora riem com as estrelas, no Coração do Papai do Céu.
E eles mesmos sempre dizem que a morte não mata o Amor nem a Alegria.
E que tristeza e rancor não estão com nada, e fazem mal demais.
E eles gostariam de abraçá-los, agora mesmo, e dizer-lhes que o tempo não pára e que a vida segue na direção do infinito...
E que viver é uma bênção e que vale a pena fazer o Bem, mesmo que ninguém note.
E que só o Papai do Céu é que conhece todos os corações.
Só Ele sabe o momento de cada coisa e a hora dos reencontros na imensidão vital.
Chega de choro e de dramas!
O coração sabe que há algo mais... Uma Luz. Um Amor.
E que vale a pena viver, na Terra ou no Astral.
Ah, eles não morreram! E lá das estrelas mandam um grande abraço.

P.S.:
Esses escritos foram feitos nos estúdios da Blue TV, momentos antes do início do programa Dimensões, apresentado por Rosana Beni. E em seguida foram lidos para os telespectadores, ao vivo.

Paz e Luz.

- Wagner Borges – cada vez menor diante de um Grande Amor...
São Paulo, 03 de maio de 2010.

- Notas:
* As partes anteriores desse texto estão postadas no site do IPPB – www.ippb.org.br – e podem ser acessadas nos seguintes endereços específicos:
Parte I – http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=6898
Parte II - http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=6905
Parte III - http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=6928
Parte IV –
http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9668:algo-mais-uma-luz-um-amor-iv&catid=31:periodicos&Itemid=57
Obs.: A Parte V ainda não foi atualizada no site.
** Corpo espiritual - Cristianismo - Cor. I, cap. 15, vers. 44.
Sinonímias: Corpo astral - do latim, astrum - estrelado - expressão usada pelo grande iniciado alquimista Paracelso, no séc. 16, na Europa, e por diversos ocultistas e teosofistas posteriormente.
Perispírito - Espiritismo - Allan Kardec, séc. 19, na França.
Corpo de luz – Ocultismo.
Psicossoma - do grego, psique - alma; e soma, corpo. Significa literalmente "corpo da alma" - Expressão usada inicialmente pelo espírito André Luiz nas obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier e por Waldo Vieira, nas décadas de 1950-1960, que atualmente é mais usada pelos estudantes de Projeciologia.

segunda-feira, junho 21, 2010

Livro: um objeto anacrônico?

Por Milton Hatoun - Publicado em 30 de abril de 2010 pelo Estado de S.Paulo


Num artigo publicado em 2007, José Mindlin escreveu que o livro "tanto pode continuar sua trajetória de mais de 550 anos, como pode desaparecer em sua forma atual; mas apesar do risco de uma afirmação categórica, não tenho dúvidas em afirmar minha convicção de que vai permanecer". (O Futuro do Livro - Sessenta Visões: Estúdio Substância/editora Olhares/ Ipsis Gráfica e Editora)

Concordo com o otimismo de Mindlin, cuja biblioteca eu tive o privilégio de conhecer: uma biblioteca tão grandiosa e rica que você se sente inibido de escrever até um bilhete.

Há livros que servem apenas de entretenimento. E há livros cujo conteúdo e linguagem são bem mais complexos; por exemplo, alguns dos livros que José Mindlin relia e cultuava: Grande Sertão: Veredas, os volumes de Em busca do Tempo Perdido, os Ensaios de Montaigne... Esses livros pedem e até exigem um leitor sofisticado, apaixonado e corajoso. Do livro mais fácil ao mais complexo, há algo em sua elaboração, algo essencial que diz respeito ao pensamento, a um modo particular de ver o mundo ou de imaginá-lo. Deixando a subjetividade de lado - mas não totalmente à margem -, penso que o livro eletrônico já é em certos países um concorrente ao livro de papel. Talvez seja mais exato dizer, ainda citando Mindlin, que "a leitura encontrou formas paralelas de existência". Ou seja, o texto na tela é uma das alternativas ao livro.

Para um leitor compulsivo que viaja muito, é preferível levar um e-book no bolso a carregar uma mala de livros. Mas para um leitor razoavelmente sedentário - e aí entram a subjetividade e as delícias do gosto - é mais prazeroso escolher um livro na estante de sua casa ou de uma biblioteca e lê-lo com interesse e paixão, anotando frases ou trechos que expressam uma ideia, reflexão, cena ou diálogo relevantes.

Apesar do avanço da tecnologia eletrônica - que um dia nos permitirá ler textos flutuando no ar -, o livro de papel ainda tem algo de artesanal na sua concepção e impressão. Talvez no futuro ele seja um objeto de culto e prazer de uma imensa minoria de seres anacrônicos. Mas quem - a não ser cartomantes e poderosas mentes apocalípticas - pode prever o futuro?

Não oponho qualquer resistência ao livro digital, muito menos ao computador, que facilitou a vida de todo mundo. Afinal, qualquer texto de Kafka, na tela ou no papel, será um texto de Kafka. A questão mais funda e, no limite, sem resposta, é saber se no futuro haverá leitores de Kafka.

Outro dia soube que uma edição eletrônica de um dos meus livros já estava disponível. Minha reação foi tão fria quanto a luz branca da tela. Porque nessa edição eletrônica não consigo sentir o processo da escrita desse texto: as várias versões do manuscrito e as sugestões indicadas pelos editores. Um processo até certo ponto artesanal, que a edição de um livro exige: da fonte a ser usada no miolo à escolha da capa, os textos da orelha e da quarta-capa, o tipo de papel, etc. Talvez muitos jovens de hoje não sintam falta desse processo que é ao mesmo tempo artesanal e tecnológico. Mas para um dinossauro que ainda usa sua caligrafia para esboçar a primeira versão de um texto, o lado artesanal é importante. Além disso, essa frase de um conto de Machado de Assis faz pleno sentido se lida no papel: "Sim, minha senhora... As palavras têm sexo."

Uma amiga embriagada por novidades eletrônicas me disse que ao manusear um e-book ela poder escutar o farfalhar das folhas de papel e até sentir o cheiro da tinta, como se a tela tivesse sido impressa. "Tudo é incrivelmente parecido com um livro", ela disse.

Bom, se o e-book é uma espécie de duplo ou sósia virtual do livro de papel, então este viajante imóvel prefere o original.

Por fim, rabisquei este poemeto, que agora dedico à memória de José Mindlin:

Haverá um último livro Sobre a morte do livro?
Leremos palavras no ar
Ou na tela de um objeto invisível?
O verbo folhear será esquecido? A frase:
Vou abrir um livro
Será um insulto? Uma profanação?
Um sacrilégio supremo?
Em cada página impressa
O livro desafia o tempo.

domingo, junho 20, 2010

PALAVRAS E REAÇÕES

É bem interessante observar como certas palavras provocam reações extremas e opiniões calorosas.

Basta uma palavra como "RAIVA" para que todo o contexto em que ela foi empregada seja descartado. Interessante...

Fico aqui, do meu canto, observando o coletivo e sorrio, sou parte dele, adoro ir com ele, ser tragado por ele ( ainda mais em tempo de Copa), mais ao mesmo tempo, estou atento, tudo que chega ao extremo - opiniões, reações, fé ou argumentos - precisa do nosso olho aberto, discercimento e filtro, principalmente filtro, para que os pedidos de "CALA A BOCA" não saia também de nossos dedos, só pelo desejo de seguir a massa, falar o que eles falam, escrever o que eles querem ler.

* * * *

Dia do jogo do Brasil, meu grito é o mesmo de outros milhares de brasileiros.

Tudo é festa!

Aqui, da minha janela, ouço o som das vuvuzelas, o grito do povo, o céu parece ter ficado com esse azul lindo, só para nos lembrar que Deus é brasileiro.

Daí, me lembro, que na Costa do Marfim, o povo de lá pensa o mesmo: que a cor do céu, o verde da mata, o amarelo do sol e o branco da espuma do mar são sinais que Deus também é marfinês.


* * * *

Uma de minhas leitoras me procurou e perguntou:

- Frank, como posso saber se o caminho em que eu estou é mesmo o caminho certo? Como saber que não estou caindo em uma cilada, afinal, com tanta picaretagem espiritual, fica difícil escolher a caminhada?

- Eu não nenhuma autoridade em caminhadas espirituais para te aconselhar, mas desconfio que se você já está se questionando, já sabe que há por aí muita picaretagem, posso dizer que você já está vacinada contra as bobagens que se vestem de sinais espirituais, mas não passam de janelas com grades!

sábado, junho 19, 2010

Espiritualidade – desafios espirituais da vida temporal

Por Marcos Porto - portomfc@terra.com.br

Mensagens recebidas através do universo nos têm revelado a inigualável oportunidade à nossa disposição como seres humanos espirituais, ou seja, nossa chance de escalar a montanha do nosso progresso evolutivo, iniciando do ponto do instinto quase animal, atingindo os patamares dos níveis de consciência superiores.

Esta escalada cósmica, se assim a podemos chamar, é apoiada e nos supre a nós, seres mortais, de profunda compreensão e compaixão, sentimentos estes que nenhum outro ser vivo do planeta poderá usufruir.

Sendo assim, não devemos nos sentir, como que estarmos constantemente nos desgastando nos nossos esforços de crescimento pessoal e espiritual sem resultados imediatos e, desta forma, nos colocarmos de prevenção em assumir por inteiro nossa missão como seres humanos espirituais.

O desafio espiritual da vida temporal, sinônima de profana ou mundana, é viver apropriadamente sob ampla variedade de condições, as quais se convertem nos testes dos mistérios de nossas vidas.

Como se manifesta este desafio?

Vamos lá refletir sobre o tema?

Mestre Confúcio (551-479 AC) filósofo chinês, atualmente Mestre Ascensionado da Grande Fraternidade Branca, na sua obra em vida “Os Analectos” nos diz: “Para viver corretamente, devemos pensar de forma correta”.

Trazendo esta afirmativa para nossa reflexão, isto significa que devemos manter atitude de vida positiva, construtiva, emocionalmente responsável, administrando as ocorrências em níveis saudáveis de desapego e bom humor, vivermos em constante proximidade e confiança com Deus, praticando sempre nossas boas intenções de amor com todos os seres vivos do planeta, particularmente com nossos semelhantes.

Quando pensamos em desafio, isto poderá se referir à disposição permanente de luta do tipo: “Pode vir que estou pronto! Enfrentarei esta prova até que ela se resolva!”

Talvez esta seja a resposta adequada, mas por outras vezes não seja bem isso. Qual a diferença?
O sentido de aprendizado nestes casos é importante, ou seja, diferentes contextos, lugares, e épocas de nossas vidas, nos mostram que embora tenhamos frequentado diferentes escolas de experiências de vida, e tendo nos graduado em todas elas, nós estaremos sempre diante de solicitações.

E sempre haverá espaço para melhorar!

Compreensão poderá ser eternamente aprofundada. Da mesma forma que viver corretamente, compreensão é um caminho eterno, sempre renovado.
As pessoas costumam dizer: “Primeiro você entende o que acontece, e então depois você compreende! A cada vez você aprende a lição melhor do que a vez anterior”. Faz sentido?

Com isso, queremos dizer que o fascinante no desenvolvimento espiritual, é que não há limites na profundidade que poderemos atingir.

Quanto maior a clareza e lucidez de consciência, maior será a resplandecência da resposta espiritual. Como significado mais amplo, nossas respostas às ocorrências de nossas vidas determinam o grau de nosso progresso de evolução. Este fato nos dá o porquê devemos responder espiritualmente aos fatos da vida, principalmente aos mais dificultosos como, por exemplo, lidar com pessoas difíceis, e com as decepções de nossas expectativas.

Seguindo com os exemplos, seria espiritualmente inapropriado em relação aos nossos propósitos, trabalhar egoisticamente visando somente interesses próprios, ao invés da atitude espiritualmente adequada de trabalhar para o bem e melhoria do nível de compreensão da humanidade. A atitude inadequada nos conduzirá a sermos defensivos, inseguros destrutivos, ao passo que espiritualmente conscientes seremos confiantes, positivos e construtivos. Correto?

Os contatos diretos com o universo são desta forma estimulados porque as respostas tornam-se frequentes.

Sabemos que nossos problemas permanecem conosco onde quer que estejamos. Nossa personalidade não muda por milagre só porque nos transferimos de um lugar para outro. Assim é também com nossa passagem para o plano espiritual.

Não há garantias de que quando deixarmos o corpo físico nesta vida, miraculosamente, estaremos agindo corretamente na outra dimensão. A forma de agirmos e reagirmos aqui será muito semelhante a de como agiremos e reagiremos lá. Isto é uma boa notícia para quem está sentindo, pensando e agindo de forma correta, mas caso não, aí estará o perigo, não é verdade?

É muito conhecida por todos nós a história da pessoa orgulhosa e arrogante que ‘morreu’ na mesa de cirurgia, fazendo sua passagem para o plano espiritual. Depois do tempo devido de permanência, ela foi solicitada a renascer voltando à forma humana, e resistiu novamente no seu modo usual orgulhoso e arrogante, dizendo que ainda não havia aprendido a mudar.

Então, pacientemente, os Mestres de Luz mostraram a necessidade do retorno, porque é aqui, durante a vida temporal, que o processo de aprendizado cria situações para que por compreensão e amor as pessoas possam evoluir para níveis superiores de consciência.

Portanto, parece evidente que a nossa passagem pelos portais espirituais quando deixarmos o corpo, não nos habilita a resolver nossos defeitos de personalidade – e isto representa o desafio dos mistérios da vida temporal– esta é a ‘lição de casa’ permanente do nosso processo de evolução. Está claro?

Aqui, ali ou em qualquer lugar o propósito da evolução é auxiliar nosso processo de aprendizado para atingirmos a plenitude.

Na medida em que evoluímos no entendimento de nossa missão espiritual, cresceremos mais e mais em compreensão e amor, o que significará encontrar respostas adequadas aos desafios da vida temporal.

Voltaremos ao assunto.


Marcos Porto – Terapeuta Holístico, modalidade Psicoterapia Holística Transpessoal – CRT 44432, Diplomado em ITC - Integrated Therapeutic Counselling, Stonebridge, Inglaterra, trabalha auxiliando pessoas na busca da sua essência, editor do OTIMIZE SEU DIA!, autor do livro - Redescobrindo o Eu Verdadeiro, é palestrante, facilitador de Seminários.
E-mail: portomfc@terra.com.br

Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=21766

sexta-feira, junho 18, 2010

LEMBRANDO...

Em que momento me limitei e esqueci que eu sou filho do Rei?

Quando foi que eu decidi morar aqui e esquecer tudo aquilo que vim fazer?

Por que continuo me limitando mesmo sabendo que sou infinito, que meu espírito tem o tamanho do universo?

Ah, quanto drama e quanta comédia é Viver na Terra!

Quero só ver a minha cara quando eu acordar e perceber quem eu era...

HOMENS MINHOCAS

Há dois dias atrás, na reunião mediúnica na qual trabalho, atendi um espírito desencarnado em situação inédita, e chocante, que me fez refletir sobre várias coisas.

O grupo estava cantando uma música chamada “Quanta Luz”, que se tornou uma espécie de hino da nossa casa de trabalho, um centro voltado para a cura integral, física, emocional e psíquica, já considerando integrado o espírito.

Essa música gera muita energia luminosa, muita paz, e um campo de forças extraordinário.

Enquanto cantávamos, depois de um difícil atendimento a um espírito, para reforçar o campo de forças do ambiente, incorporou um espírito dizendo que aquela música o incomodava, e pedia para pararmos, e pensei a princípio que era alguém das sombras, por ser isso comum. Os maus não gostam mesmo da luz, nem daquele tipo de música.
Ele então disse que a música gerava luz, e que a luz fazia arder a sua pele, pois caíam gotas de luz que pareciam ácido na sua pele.

Comecei a aplicar-lhe um passe de perto, pois a médium estava na cadeira ao meu lado.
Ele dizia que o contato da luz com a sua pele doía, e o fazia sofrer muito, e pedia um guarda-chuvas para se proteger da luz.

Parei o passe, e fui conversando com ele, para entender melhor seu problema, que era intrigante.

O espírito tinha sido resgatado de um lugar nas profundezas da Terra, de uma zona próxima ao magma que existe bem lá no fundo, no interior do planeta.

Ele estava escravizado há muito tempo. Já não tinha noção de quanto tempo estava lá. E estava cavando e cavando, por ordem de alguém, em busca de uma substância que não soube explicar exatamente o que era, mas que não era semelhante ao diamante. E dizia que os comandantes do trabalho utilizavam a tal substância em uma máquina.

Tudo isso, deve ficar bem claro, se passava no mundo espiritual, no centro da Terra.
Ele dizia que havia muitos outros também lá, como ele, e que eram chamados pelos chefes de “Homem-Minhoca”, porque só faziam cavar. E que se parassem de cavar eram castigados.

Ele disse que estava com medo por estar ali conosco, pois seria castigado pelos feitores, e não sabia dizer como chegou até nós.

O pobre infeliz dizia que sua pele já não existia mais, e que ela estava quase totalmente transparente, dando para ver mais ou menos as veias dentro do corpo.
Pensem em alguém sem pele, meio transparente. Era o coitado.

Isso, provavelmente, se deu em função da perda do contato absoluto com a luz solar, mesmo no mundo espiritual, além, talvez, do contato com a tal substância de que ele falou, e talvez pela proximidade do magma. Ele não soube explicar a razão de ter perdido a pele do corpo espiritual.

Fizemos um trabalho de colocação de uma espécie de unguento na pele dele, mas tudo no nível do corpo espiritual, nada físico.

Ele se sentiu aliviado e agradeceu, e então foi encaminhado para um hospital no plano espiritual para tratamento mais adequado, pois o nosso trabalho é mais ou menos o de um pronto socorro.

Ele disse que ainda há muita gente lá, cavando, nas mesmas condições em que ele vivia, e eu disse que cada um seria resgatado no seu devido tempo. Essa decisão não nos compete.

Fiquei pensando a que nível de degradação humana e espiritual podemos chegar!
Isso envolve tanto os “homens-minhoca” quanto os que os escravizam.

Os escravos devem ter descido àquelas profundezas no mundo espiritual após uma vida terrena como perversos, tendo descido para as zonas mais inferiores do mundo espiritual, mais próximas do centro da Terra, devido ao corpo espiritual muito denso, e terminaram caindo nas mãos de gente ainda mais perversa, devido ao processo de culpa a que se entregaram.

Quando alguém foi muito mau na vida física, e se sente culpado depois da morte, merecedor mesmo do inferno, e sem um imediato arrependimento, sem acreditar em Deus, sem orar a Ele, ou a um grande líder espiritual, como Jesus, por exemplo, ou Buda, pode se tornar uma presa fácil para espíritos que habitam as regiões das sombras, que utilizam esses infelizes desencarnados para auxiliá-los nos seus trabalhos voltados para o mal.

Quantas organizões marginais existem no mundo espiritual...conheço inúmeras...mantenho contato frequente com muitas delas...e estamos sempre resgatando espíritos escravizados por essas organizações do submundo astral...

Essa organização que mantém aprisionados e trabalhando os “homens-minhoca” é apenas uma entre tantas outras. Apenas mais uma. Porém deve ser uma organização com uma tarefa diferente, e especializada, pois eles manipulam uma substância totalmente desconhecida dos humanos, para utilizá-la em aparelhos por eles construídos, e para fins também por nós encarnados inteiramente desconhecidos.

Tudo isso me lembra das osbessões complexas, de que tanto falam os livros psicografados por Robson Pinheiro, na qual são utilizados aparelhos.

A degradação humana e espiritual não tem limites!

Levar uma vida criminosa e perversa na Terra pode significar muitos séculos no submundo espiritual, escravizado por organizações perversas, sendo joguetes dos espíritos das sombras que tanto fazem mal à humanidade.

O ser desencarnado que desce tão fundo no mundo espiritual deixa de ver a luz, e vive literalmente na escuridão, e nessas regiões próximas do magma devem sentir um calor verdadeiramente infernal, pois seus corpos se tornam lá quase tão materiais quanto o corpo físico. A diferença do grau de materialidade deles é muito pequena, em relação ao nosso corpo físico, e por isso sentem o calor do magma muito intenso. É daí talvez que vem a lenda do inferno quente, e do fogo eterno do inferno.

Na escuridão, perdem aos poucos a noção de noite e dia, pois para eles só existe uma noite eterna...

A sensação de que aquilo não terá fim, de que seu “castigo” é eterno, é muito real, e deve causar imenso sofrimento aos seres assim escravizados.

Muitos aceitam por tempo por demais longo o que acham que é castigo Deus, sem arrependimento pelo passado delituoso, e devido à crença no inferno eterno, no fogo eterno do inferno, o que é pregado por várias religiões na Terra.

Como muitas religiões pregam que os maus viverão para sempre no inferno, e que de lá não poderão mais sair, então muitos sequer pensam na possibilidade de pedir socorro. E a quem, já que eles não acreditavam em Deus?

Acabam aceitando a triste realidade, e se acomodam à dor e ao extremo sofrimento.
Muitas vezes passam-se séculos e mais séculos até que o desespero tome conta de um ser perverso, e então ele aos poucos começa a pensar se realmente não existe mesmo um Deus, como muita gente acreditava na Terra, quando ele ali vivia. E isso vai fazendo ele começar a se arrepender da vida tortuosa que levava, e inicia-se o remorso, até que um dia vem o choro, mas o choro sincero, sentido, e o pedido de ajuda dirigido a Deus, pedindo perdão pelo que fez. E isso acaba sendo ouvido pelos trabalhadores espirituais.

Deus não desampara ninguém!

Há muitos seres iluminados na Terra trabalhando para resgatar esses pobres coitados que levaram uma vida perversa, apenas voltada para seu prazer pessoal, de forma egoística, e com prejuízo para os outros.

É preciso muito tempo, séculos mesmo de dor e sofrimento para despertar essas consciências, até que elas sintam o quanto fizeram o mal, e se cansem de sofrer.
O sofrimento nesses planos infernais é tão grande que até os mais perversos e endurecidos um dia se cansam de sofrer, se desesperam, amolecem o coração, e terminam se curvando, baixam a cabeça, se humilham, lançam o olhar para o alto, mesmo apenas vendo nuvens negras nas trevas intensas, sem ver a luz do sol, do qual têm apenas uma pálida lembrança, e então oram a Deus, ou a Jesus, ou a Buda, ou outro luminar.

Então chega por fim o socorro, o resgate, como aconteceu com o irmão que atendemos, e que disse ser chamado pelos perversos de “Homem-Minhoca”.

Não existe inferno eterno! Existe inferno mental, que nos leva a zonas e situações infernais, mas apenas temporariamente, mesmo que isso signifique mil anos.

Um dia chega o arrependimento, por mais que isso demore. Mas quanto mais rápido, menos sofrimento.

O ideal é levar uma vida sem fazer mal a qualquer pessoa!

Ser um bom ser humano, manso e pacífico, ordeiro, honesto, sem prejudicar ninguém, somente fazendo o bem aos outros.

O mundo espiritual é maravilhoso e verdadeiramente paradisíaco para aqueles que são bons espíritos, que amam o próximo, que ajudam, que amparam, que perdoam, que trabalham pelo bem-estar de todos.

Para quê se dedicar ao mal e depois descer ao inferno...por longos séculos...onde só há de fato choro e ranger de dentes...

Muita paz.

Salvador, 20 de maio de 2010

Luis Roberto Mattos.

ublicado em: http://mestresanakhan.com.br/home/ler_relato.asp?cod=30

"Mundo ficou mais burro e cego hoje", diz Fernando Meirelles sobre morte de Saramago

O cineasta Fernando Meirelles lamentou nesta sexta-feira (18) a morte do escritor português José Saramago. Leia abaixo o comunicado oficial de Meirelles, que adaptou a obra "Ensaio Sobre a Cegueira" para os cinemas em 2008 e cuja produtora, a O2 Filmes, está co-produzindo documentário, atualmente em fase de finalização, sobre os últimos anos de Saramago e sua mulher, Pilar Del Río.

"A última vez que me encontrei com Saramago foi em Penafiel, em Portugal, em novembro passado, onde ele foi homenageado, mas na verdade tenho convivido muito com ele ultimamente pois a O2 Filmes está co-produzindo um documentário chamado 'José e Pilar', dirigido pelo português Miguel Mendes, sobre os últimos anos do Saramago e sua mulher. O filme é comovente de cortar os pulsos, vemos ali um homem brilhante que sabe que seu tempo está acabando e tem muita pena de morrer. O dia no qual ele pensava constantemente e que tentou adiar, chegou.

Saramago era um homem lógico, dizia que a morte é simplesmente a diferença entre o estar aqui e já não mais estar. Combatia as religiões com fúria, dizia que elas nos embaçam nossa visão, mesmo assim não consigo deixar de pensar que adoraria que neste momento ele estivesse tendo que dar o braço a torcer ao ser surpreendido por algum outro tipo de vida depois desta que teve por aqui.

A lucidez naquele grau é um privilégio de poucos, não consigo escapar do clichê mas definitivamente o mundo ficou ainda mais burro e ainda mais cego hoje.

Fernando"


Fonte: http://entretenimento.uol.com.br/ultnot/2010/06/18/mundo-ficou-mais-burro-e-cego-hoje-diz-fernando-meirelles-sobre-morte-de-saramago.jhtm

COMEÇOU...

Começou o tempo do amor, onde você vai descobrir o que sempre te esperou e você sempre procurou.

Prepare-se para a jornada, tenha fé, coragem e não desista no meio da pista.

Sim, essa crônica corrida é para você que recordou que é preciso despertar.

Não há garantias que você encontrará o mesmo que encontrou o Batista, o Joanista e a Elke Maravilha; pois o Divino se mostra a todos de acordo com a forma que gostaríamos que Ele tivesse, mesmo sabendo que Ele não tem forma, e só uso E para Ele, pois não quero te ofender ao dizer que E também serve para Ela.

Não vai ser fácil, mas vai ser emocionante, vai mudar a sua vida, o seu olhar, os seus passos.

Prepare-se para a viagem, aperte as asas, voe e não tema; quem não quer que você cresça não voa, fica só na vontade.

E lembre-se: não te faço um favor ao escrever isso, estou apenas escrevendo qualquer mensagem que talvez sirva para você, ou talvez você nem olhe. Assim são as coisas, o que é Divino para você, para o outro é bobagem.

O INICIADO ESPIRITUAL – ETERNO APRENDIZ DO TODO II

Quem estuda temas espirituais de forma séria, naturalmente se considera cidadão do universo e, por isso, sabe que todo ser vivo é seu irmão de jornada.
E todo lugar é seu lar, porque sabe que o Todo está em tudo!**
E que a senda é na vida e o templo verdadeiro é em seu coração.
Ah, quem é iniciado nas artes espirituais, valoriza principalmente a Luz.
Sabe que, sem Ela, ele ficaria em grande perigo, perdido em si mesmo.
Então, ele jamais se esquece de elevar seus pensamentos ao Eterno.
Sabe que o mundo material desdenhará os seus momentos de conexão espiritual.
Mas, ele não liga; sua certeza íntima lhe dá forças para prosseguir na jornada.
E ele sabe que está na Terra temporariamente e que, mais à frente, a verdade surgirá naturalmente, além do véu da morte...
Ah, o iniciado percebe uma aragem espiritual soprando em sua vida, de formas secretas e admiráveis... Ele sente isso em seu coração!
E agradece à Luz, por tudo. Pela riqueza que guia seus rumos, na Terra e além...
Ele sabe que há um Grande Amor Universal, e procura se harmonizar com Ele.
Compreende que há coisas que os sentidos do corpo não captam e, por isso, perscruta outros planos de manifestação com seus sentidos espirituais.
Para isso, medita e pondera sobre as coisas do espírito; e faz isso em silêncio.
Ele sabe que todas as coisas e seres têm um duplo; e que tudo é energia!
Ah, ele escuta uma “canção sem som”, e fica feliz de ouvi-la, em espírito e verdade.
E ele também sabe que, de outras esferas, consciências serenas e luminosas velam invisivelmente por sua caminhada, seus estudos e seus trabalhos na crosta terrestre.
E, novamente, ele agradece. Pelos olhos cheios de amor que o fitam serenamente.
Ele sabe que é pequeno diante da Grandeza Universal; mas, também sabe que é par
te d’Ela, e que a luz das estrelas é a mesma de seu coração.
Ele sabe que é iniciado nas artes espirituais, mas que, na verdade, não passa de eterno neófito da Vida. E o seu hierofante*** real é o Grande Arquiteto Do Universo!
Ele ora e agradece, e pensa na humanidade toda sendo abraçada pela Luz.
Em muitas ocasiões, ele chora sozinho, ao sentir a dor do mundo em si mesmo.
E isso abre o seu Ser para as vibrações da compaixão silenciosa, tornando-o veículo de celestes numes...
Ah, ele sabe que o seu coração não é mais só seu, pois um Grande Amor está ali.
E, diante disso, ele aceita o seu pequeno papel dentro da existência; porque ele sabe que é uma mini-peça dentro da vasta Engrenagem Universal...
O iniciado sabe que ganhou uma grande chance e, por isso, trabalha dignamente para ser merecedor dela. Sabe que precisa caminhar com honra e lucidez, mesmo sob dificuldades variadas.
Ele sabe que as trevas tentarão cercear sua jornada usando diversos artifícios e armadilhas; muitas vezes, tentando-o com pactos e vantagens psíquicas e materiais.
No entanto, sua fiadora é a Luz. E é n’Ela que ele se escora e haure forças.
Ah, ele jamais renegaria sua Espiritualidade, por nada, deste mundo ou do outro.
Porque Ela e ele são um só! E, sem Ela, ele não é nada!
O iniciado sabe que Espiritualidade não é uma doutrina, nem um lugar, mas um estado de consciência. Então, como poderia renegá-la, se faz parte de seu Ser?
E ele sabe que muitos se esquecem disso e se deixam levar pelas ilusões do mundo e da mente, sabotando a si mesmos e até mesmo desdenhando a senda que os sustentava espiritualmente antes.
E ele também sabe que alguns até mesmo passaram a ser veículos das trevas, seja por vantagens ou por pura maldade; e alguns, por arrogância, e sem sequer perceberem, se tornaram escravos espirituais de grupos extrafísicos deletérios.
Ah, ele sabe que viver com a Luz no coração não é tarefa fácil. Por isso, ele ora também pelos que se perderam, para que se reencontrem na jornada.
Porque ele sabe que as ondas da existência vão e vêm; e, mais à frente, tudo se esclarecerá, seja nesse plano ou em outro...
O iniciado sabe daquela “riqueza que a traça não rói” - e que, “na Casa do Pai há muitas moradas”. E ele sabe que, tanto a riqueza quanto as moradas, estão no Céu de seu próprio coração.
Por isso, ele caminha forte e lúcido na senda. E a Luz é a sua Fiadora, em todos os planos de manifestação. Por onde ele for, Ela também irá...
Porque Ela e ele são um só!


P.S.:
Escrevi essas linhas inspirado pelo sábio espiritual Sanat Khum Maat****, que está aqui ao meu lado. Olhando para ele, que é um mentor espiritual egresso das antigas iniciações da Índia e do Egito, eu me lembro de um ensinamento do grande mestre Hermes Trismegistro, que dizia: “O Inefável é invisível aos olhos da carne, mas é visível à inteligência e ao coração.” – E também me lembro dos ensinamentos de Krishna para o seu discípulo-arqueiro Arjuna. Lá nas terras quentes do Ganges, ele dizia: “Não se lamente, meu amigo. Tudo passa. O espírito é imperecível; jamais fenece, só entra e sai dos corpos perecíveis. O fogo não pode queimá-lo, e nem a água pode molhá-lo; aliás, que arma material poderia ferir o princípio espiritual, que é eterno? Não se lamente. Olhe em meus olhos e entregue o fruto de seu labor para Mim. Todos os seus entes-queridos e amigos que partiram estão vivos, eu lhe garanto. E eles retornarão a esse mundo, muitas e muitas vezes... Então, meu amigo, não se lamente.”
Aqui e agora, eu rendo uma homenagem aos iniciados espirituais de todas as eras e tradições, principalmente aqueles que desencarnaram nas fogueiras perpetradas pela ignorância da inquisição, na Europa e nas Américas. Eles partiram do plano físico sem trair os ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, e foram abraçados pela Luz, sua Fiadora.
Sim, aqui e agora, eu me curvo à mesma Força que norteou esses iniciados, homens e mulheres valorosos, em suas jornadas até o Alto, onde foram dignificados por seu labor e dedicação.
Oxalá eu também seja digno como eles, na Terra e além, nessa jornada que é infinita...

(Dedicado aos estudantes espirituais de todas as linhas, que, mesmo sob pesadas provas e incompreensões variadas, ainda perseveram nas lides da consciência e se consideram honrados por isso; e que sabem que a Luz é Sua Fiadora Perene...)

Paz e Luz.

- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma; e eterno neófito da Vida, sempre agradecido ao Todo, que está em tudo!
(Enquanto eu passava essas linhas a limpo, rolava aqui no som a bela canção “Geweint Vor Gluck” (Orchesterversion) – 15ª faixa do CD. “Müchtig Viel Theater” - da banda de pop/rock alemã Pur – Importado – Alemanha.)
São Paulo, 17 de novembro de 2009.

- Notas:
* A primeira parte desse texto está postada no site do IPPB – www.ippb.org.br -, no seguinte endereço específico: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=6486
** O TODO – expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.
Quando se afirma que o Todo – Deus, O Supremo, O Absoluto, O Grande Arquiteto Do Universo – é o Grande Hierofante, é no sentido de que Ele é o Supremo iniciador de todos os seres, pois está em tudo!
*** Hierofante - dentro do contexto das iniciações esotéricas da antiguidade, era o mestre que testava os neófitos (calouros) nas provas iniciáticas.
****Para saber mais sobre o amparador extrafísico Sanat Khum Maat, ver o texto 139 - postado pelo site do IPPB em 1999, e onde revelo alguns detalhes sobre sua presença espiritual -, no seguinte endereço específico: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=3194
Há outros textos dele postados na seção de textos periódicos do site enviados semanalmente - www.ippb.org.br. Devido à profundidade de seus apontamentos, é um dos mentores mais queridos dos leitores, que, frequentemente, enviam e-mails pedindo mais textos de sua autoria espiritual.
Obs.: A coletânea de textos espirituais de Sanat Khum Maat está publicada em meu oitavo livro: "Ensinamentos Extrafísicos e Projetivos", lançado pela Editora Madras, em 2005 - o livro pode ser encontrado nas livrarias e também pode ser adquirido diretamente no IPPB - ou por telefone - e ser enviado pelo correio.

quinta-feira, junho 17, 2010

Despertando II

Eu que disse oi sem querer dizer como vai; não entendi porque razão ele não entendeu que eu queria continuar lendo o meu livro e foi se acercando de mim, com aquela conversa mole de quem precisa ser ouvido e foi dando a sua opinião sobre tudo, o que sentia, o que julgava, o que não queria e disse para mim que tinha ouvido algo meio estranho, e sendo eu, moço das letras, quem sabe, eu não poderia fazer daquele caso um conto.

Quem tem ouvido que ouça, por isso, não quis ser rude e escutei, e você, meu amigo leitor, mesmo tendo olhos, não precisa ler, mas se quiser, saiba que não escolhi essas palavras, apenas reproduzi o que aquele sujeito estranho me contou que ouviu do seu avô.

Daí, ele fez um poema:


"Um dia você acorda pela manhã, e ao se olhar no espelho, percebe que já não é mais o mesmo.
Há algo diferente,
Um sentimento no ar que algo se alterou, que você nem mesmo entende.

Você passa a perceber coisas bobas que até então nem notava,
Um pássaro que sempre cantou em sua janela;
Os raios de sol tocando a face de uma crianca que passa;
As gotas do orvalho no verde como se as folhas chorassem;
E que você é mais do que aparenta, mais do que uma simples roupagem.

Surge uma urgência de repensar sobre o que faz e o que andou fazendo,
Pensa se o que deixou nas pessoas que cruzaram seu caminho, foram pétalas de rosas ou pedaços de espinhos;
E você se pega com olhos cheio de lágrimas diante do sofrimento de muitos,
O que afinal esta acontecendo? Você se pergunta. Mudou algo em você ou mudou o mundo?

Por que sempre fora indiferente? Por que nunca reparara que há mais razões para sorrir do que para chorar?
Será que toda pessoa se sente assim ou passa por esse despertar?
Então curioso você caminha nas ruas, olha as pessoas a passar
e percebe que elas estão com olhos vedados, vivendo a ilusão de ir para algum lugar, mas nunca chegam lá.

Você sorri no engraçado de ter sido assim e nunca ter percebido, e refletindo se dá conta de quanto tempo fora perdido.

Será que há outros que se sentem assim?
Sera que você ficou louco ou apenas mais lúcido de si?

Acordar, comer, trabalhar e dormir ja não é mais suficiente, com esperança você pensa que deve ter muita mais coisa a frente.
Então, pela primeira vez surge uma vontade forte no coração,
De ter uma conversa sincera com Ele, Aquela força que você acreditava ser mito ou ficção.

E você se pega indo em templos, igrejas, sinagogas e mesquita;
Com fervor lê a bíblia e se emociona com o Bhagavda Gita;
E segue buscando faminto,
Algo que te ajude a entender esses mistérios da vida.

O que causou esse despertar você não sabe, ninguém sabe explicar,
Mais uma coisa lhe é certa, não dá para continuar sendo o mesmo,
É preciso melhorar:

A espiritualidade chegou para ficar"

quarta-feira, junho 16, 2010

Quero uma primeira vez outra vez.

"Quero uma primeira vez outra vez.

Um primeiro beijo em alguém que ainda não conheço,

uma primeira caminhada por uma nova cidade,


uma primeira estréia em algo que nunca fiz,


quero seguir desfazendo as virgindades que ainda carrego,


quero ter sensações inéditas até o fim dos meus dias."


Martha Medeiros

Além da Imaginação

A maior curiosidade de Leela era atravessar aquele buraco no céu. Ela passava seus dias imaginando o que teria do outro lado. Imaginava coisas malucas, desenhando-as em sua tela mental, depois apagava tudo, pois mesmo malucas, eram comuns demais, e do outro lado mesmo deveria haver coisas inimagináveis. Mas como seriam estas coisas inimagináveis? Isto lhe arrepiava a pele e aguçava mais a imaginação. Leela voltava a imaginar coisas inimagináveis. Mas novamente eram muito parecidas com as coisas do seu próprio mundo. Os passarinhos do outro lado era linguas de fogo. Os gigantes eram pessoas ampliadas e pintadas de verde. Que cor seria uma cor inimaginável? Leela se pergunta. E assim seguia...

Uma vez por ano, descia uma espaçonave pelo buraco e vinha até sua cidade. Era dia de levar algumas pessoas pro outro lado do buraco. Num dia desses...

— Leve-me em sua espaçonave — disse Leela ao capitão da nave.
— Você está preparada? — perguntou o capitão.
— Sim, sim! Estou sim! — ela respondeu.
— Tem certeza!? — disse o capitão — Pra ir comigo e passar por aquele buraco, você precisa estar preparada pra deixar tudo aqui. Tudo que tem, tudo que conhece, tudo que gosta e também o que desgosta. Isto significa deixar seus pais, seus amigos, seus brinquedos, suas raivas, suas alegrias, suas idéias, suas imaginações sobre o que há do outro lado. Ir comigo pro outro lado é igual morrer. Você terá que deixar tudo aqui, até suas esperanças. Não posso te levar com expectativas de voltar. Se você disser que sim, que está preparada pra deixar tudo pra trás, eu levo você agora mesmo.

Leela havia imaginado aquele momento centenas de vezes, com replay.
Era a realização de um sonho. Só que o preço estava muito alto.


... continua no prato do dia - aqui -> http://ferrarinanet.blogspot.com

Bia Labate em entrevista para Folha de São Paulo

FABIO ANDRIGHETTO
da Livraria da Folha

Três meses atrás, na madrugada do dia 12 de março, o cartunista Glauco Vilas Boas, 53, e seu filho Raoni, 25, foram mortos em Osasco pelo estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, 24.

A morte de Glauco, líder da igreja daimista Céu de Maria, causou comoção nacional e atraiu a atenção da opinião pública para a prática religiosa.

Na ocasião, a antropóloga Beatriz Labate, pesquisadora associada do instituto de psicologia médica da Universidade de Heidelberg e do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (Neip), esclareceu o uso da ayahuasca em rituais religiosos.

Há pouco tempo, ignorando o direito constitucional à liberdade de crença religiosa, o deputado federal Paes de Lira do PTC (Partido Trabalhista Cristão), de São Paulo, tentou suspender e a resolução n.º 1 do Conad (Conselho Nacional de Politicas sobre Drogas), de janeiro de 2010, o mais importante regulador do uso da ayahuasca no Brasil.

O congressista, que assumiu o mandato no lugar de Clodovil e defende a criação de uma lei que impossibilite o casamento entre homossexuais, referiu-se ao assassinato de Glauco como a "matança de Osasco".

Nesse clima de caça às bruxas, a Livraria da Folha entrou em contato com a especialista. Em nova entrevista, Labate avaliou o andamento do caso e o futuro do Santo Daime no Brasil.

Livraria - Como você vê o projeto do deputado Paes de Lira? Isso pode prejudicar as atividades religiosas no Brasil?

Beatriz Labate - O deputado representa um tipo de pensamento que sempre esteve presente no debate público sobre a ayahuasca, mas que foi, digamos assim, a vertente que perdeu até agora. Este tipo de visão se funda num duplo entendimento: por um lado, as "drogas" são más, e devem ser duramente banidas; por outro, o caráter religioso destes grupos não é autêntico, são simples fachadas para o consumo de drogas. Este tipo de discurso geralmente é um mish mash de bibliografia biomédica ultrapassada e descontextualizada com discurso de fundo puritano, somado a uma certa inspiração exaltada de combate militar e messiânico do Mal, "em nome da vida" e da "restauração da ordem pública". Este tipo de visão sobre as drogas é recorrente, para não dizer predominante. Mas no caso da ayahuasca, felizmente ela foi superada, pois apesar do consumo de "drogas" ser sempre um tema tabu, tais práticas estão fortemente enraizadas em tradições populares oriundas do norte do país, e se espalharam pelo Brasil, conquistando legitimidade. O deputado, com expressão política limitada, aproveitou a morte do Glauco para tentar ressuscitar o chavão "ayahuasca" = "drogas" = "morte". Durante as recentes audiências que ocorreram em Brasília e que podem ser vistas na íntegra na internet, ficou claro que ele não tinha muita noção dos 25 anos de debates que ocorrem no país em torno do assunto. Creio que provavelmente ele acabará desistindo da ideia.

Livraria - Qual a sua opinião sobre o andamento do caso do Glauco?

Beatriz Labate - Me parecem levianas acusações de que a ingestão da bebida seria responsável pelo crime. Até o momento, poder-se-ia, no máximo, sugerir que um quadro de fortes problemas psiquiátricos (caso de esquizofrenia na família, família desestruturada e uso abusivo de drogas) eventualmente teria sido agravado pelo consumo da ayahuasca. Mesmo assim, trata-se de especulação, uma vez que não conhece ao certo os detalhes.

Livraria - Como você avalia a cobertura da mídia?
Beatriz Labate - A mídia cita declarações de psiquiatras sobre os potenciais efeitos adversos da ayahuasca, mas esses falam do ponto de vista genérico. Eles não acompanharam, de fato, o caso e não podem avaliar as condições psíquicas do assassino. Não é um fato novo que o uso dos assim chamados "alucinógenos" pode ser problemático em certos contextos. Apesar disto, no caso da ayahuasca, a realidade empírica tem mostrado muito mais sucessos do que não-sucessos.

Livraria - Como você vê o futuro das religiões ayahuasqueiras a partir do episódio?

Beatriz Labate - Passada a tempestade, a tendência é que os grupos se reúnam e façam sua própria análise. Creio que haverá um enrijecimento nos mecanismos de seleção e acompanhamento dos participantes. Como sabemos, estas religiões possuem um forte conhecimento acumulado sobre a ayahuasca, que é sempre consumida dentro de um contexto cultural específico. O episódio contribuirá para o desenvolvimento desta cultura e seus mecanismos de controle social; certamente já está gerando reflexões e autocríticas no campo.

Acho importante estimular a realização de mais pesquisas científicas sobre os benefícios e potenciais efeitos problemáticos, instrumentalizar e fortalecer as comunidades com esses saberes, e conhecer melhor o funcionamento desses grupos. Esse acompanhamento deve ser produto sempre de um diálogo entre os conhecimentos científicos e nativos. Impor parâmetros exclusivamente cientíticos significaria um processo de racionalização, medicalização e burocratização que representa a morte dessas religiões.

Por vias tortas, é possível que surjam mais verbas para pesquisar este importante fenômeno, gerando um florescimento deste campo de estudos. Precisamos lembrar que os estudiosos do assunto também são constantemente ridicularizados. Um dos professores da minha faculdade, por exemplo, perguntou se nós iríamos "servir o chazinho" na defesa de minha tese.

É possível que o governo retome as atividades do grupo multidisciplinar sobre a ayahuasca, e haja debates sobre estabelecimento de formas de fiscalização dos parâmetros adequados de uso. Talvez o projeto original de elaboração de um conselho de entidades ayahuasqueiras adquira novo fôlego. Tudo isto é saudável, e faz parte de um processo contínuo de regulamentação destas religiões nos últimos 25 anos. Assim, de forma paradoxal, a morte do Glauco representa outro tijolinho na edificação destas práticas culturais em nosso país. Esperamos que este debate possa se dar em alto nível, respeitando a liberdade religiosa e o direito à diversidade cultural, longe das disputas religiosas, do jogo de acusações, e dos discursos demonizante antidrogas que frequentemente pautam o debate.

Leitura recomendada por Beatriz Labate

Cobertura com muitos equívocos - http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=583JDB005

A lamentável reportagem sobre a morte de Glauco
http://www.neip.info/html/objects/_downloadblob.php?cod_blob=564

A Tribute to Glauco Vilas Boas http://www.erowid.org/chemicals/ayahuasca/ayahuasca_info14.shtml


Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha/ult10082u709513.shtml
Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply