quinta-feira, fevereiro 25, 2010

O PRESENTE – UM PEDACINHO VIVO DA NATUREZA

Por Wagner Borges

Recentemente, você adquiriu um cachorro e se afeiçoou a ele.

E descobriu que o bichinho tem personalidade própria e apresenta emoções bem definidas. Ele brinca, rosna, faz birra e quer mandar no território.

Ou seja, parece gente, não é mesmo?

Agora, falando bem claro, é mais interessante para você “estar com o cachorro, do que ele estar com você”. Isso porque ele tem a natureza dele e, de um jeito ou de outro, aprende o que precisa. Mas, você, está aprendendo algo novo ao lidar com ele.

E o seu coração ficou mais luminoso.

Então, agradeça ao Papai do Céu por ter lhe dado a chance de compartilhar amor com um bichinho. Por Ele ter feito seu caminho se cruzar com o destino do cão, para progresso e benefício de ambos.

Por Ele ter lhe emprestado, por um tempo de vida, um pedacinho vivo da natureza, para fazer seu coração brilhar mais.

O Papai do Céu é o Cara!

- Companhia do Amor –
A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges - Porto Alegre, 15 de julho de 2009.)



ALGO MAIS... UMA LUZ, UM AMOR – II*
(Toques Espirituais Para um Amigo Íntegro)

Não, não pergunte a quem não sabe.
Pois ir ao cemitério nada resolve.
Não pergunte ao chão o que só as estrelas sabem.
A tumba é fria, como um coração enlutado.
E como pode ser isso? Saudade não nasce nas geleiras.
E o coração é lugar de amor, não de trevas.
Há algo mais... E você sabe. Um Amor, uma Luz.
Mas eu sei que sua mente não entende o que o seu coração sente.
Como eu sei que as músicas que você gosta continuam tocando...
Porque a vida continua... Sempre! E você rirá novamente.
Eu sei disso porque conheço a nobreza do seu caráter.
Você é forte, sempre foi. E agora, mais ainda.
E você sabe que a existência não se resume ao que você pensa.
E nem os seus sentidos são a medida do universo.
Você é inteligente, sempre foi. E sabe que há algo mais...
Por isso, não aceite pêsames de ninguém. Nem negue o que você sabe.
Pelo contrário, encha-se de toques de luz que lhe falem de sabedoria.
Sua dor é sua, e ninguém pode aquilatá-la, assim como a sua luz.
Eu não tenho pêsames para lhe dar. Você me conhece e sabe o que penso.
Não, não há morte! E eu não posso lhe provar isso – nem para mais ninguém.
O que posso é ser seu amigo e lhe dizer o que penso. E ser íntegro e claro.
E, assim, pela liberdade de nossa amizade de tanto tempo, lhe dizer o seguinte:
“Não, não pergunte à tumba. Pergunte às estrelas. E deixe seu coração sentir.”

P.S.:
Leia bons livros.
Escute as músicas que gosta.
Continue seus estudos espirituais – agora, mais ainda.
Não deixe sua mente congelar seu coração.
Não deixe de se emocionar com um pôr de sol.
Vá até uma praia limpa e olhe o mar. E, sem vergonha, abra-se para ele...
Não deixe sua companheira na mão só porque você está triste.
Pegue na mão dela e vá namorar bastante, não por fuga, mas por amor.
Não escute pessoas negativas. Pelo contrário, cerque-se de boas companhias.
Não traia o seu coração, jamais! Você sabe que a vida continua... Sempre!
E, por favor, não visite o cemitério. Sua filha não está lá, e você sabe.
Nada de hipocrisia por causa da dor de uma perda. Você sempre foi íntegro.
E não me sacaneie pedindo alguma mensagem dela. Você sabe que não é assim.
E você tem discernimento suficiente para superar isso e tocar a vida...
Se eu souber de algo, claro que lhe informarei. Se não, paciência!
Eu não mando no mundo espiritual. Aliás, não mando nem em mim mesmo.
Então, é isso. Aqui não tem pêsames, só tem discernimento e clarinadas espirituais.
Porque tem algo mais... Além de você, sua filha e eu... Um Amor e uma Luz.
E não se esqueça: tumbas não gostam de música. Mas as estrelas adoram.
Em homenagem à sua filha, escute mais música e faça sua mulher feliz.
E não deixe de ser o cara íntegro que eu sempre tive a honra de chamar de amigo.
Meu amigo, a vida segue... E é maior do que eu, você e qualquer um.
Então, vá namorar e ser feliz. Você merece. E sua filha também ficará feliz.
Porque o lance dela agora é em outro plano, lá nas estrelas, sempre viva...
Ah, como eu gostaria de levá-lo até lá... Mas, você sabe: eu não mando em nada!
Quando for possível, eu lhe direi algo. Por enquanto, cure sua dor.
E saiba que amigo real não dá pêsames, só aponta para a luz...**

Paz e Luz.

- Wagner Borges – seu amigo, não seu mestre***.
São Paulo, 08 de fevereiro de 2010.

- Nota:
* A primeira parte desse texto foi postada recentemente.
** Pedi permissão ao meu amigo (o qual deixo no anonimato, por motivos óbvios), para divulgar esses escritos que fiz para ele. Isso porque, talvez, a leitura dos mesmos possa passar algo bom para outras pessoas em situação semelhante. Assim como passou energias boas ao meu amigo e sua esposa.
Há coisas que não têm preço: uma delas é um grande amigo (a), ou um parceiro (a) sadio trilhando junto na jornada da vida.
E é na hora das provas que se vê a têmpera e o caráter de cada um.
Como diz um ditado popular, “você só sabe se o saquinho de chá é forte quando o coloca na água quente.”
E eu fico aqui pensando no contraste da escuridão das tumbas com o brilho das estrelas... E na alegria de sentir o Grande Coração da Vida Universal pulsando em todos os corações, na Terra e além...
*** Enquanto eu escrevia essas linhas, rolava aqui no som uma coletânea de músicas do grande vocalista negro inglês Seal. Eu mesmo montei a seleção, extraída de diversos CDs dele, porque aprecio muito o seu trabalho. Destaque para seis canções, de CDs diferentes: “State of Grace”, “Show Me”, Lost My Faith”, “Rolling”, “Heavenly”, e “Kiss From the Roses”.

Sobre o Professor Wagner Borges e o IPPB, acesse:
http://www.ippb.org.br/

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply