domingo, janeiro 17, 2010

AJUDANDO O HAITI, MAS E OS DAQUI?

Do sofá, ele pensou no Haiti.

Nunca havia pensado em ajudar ninguém,
Não conhecia as favelas de Diadema,
Nem sabia o que ocorrera em Angra dos Reis,
Quando pensava em Paraitinga, a referência lhe faltava;
Mas aquelas imagens trágicas no Haiti com gente soterrada,
Acordou em seu peito uma vontade de oração.

Saiu da sala,
Foi ao quarto.
Obedecendo a uma intuição
Que nunca achou que tinha,
Calou a mente,
Rezou uma Ave Maria;
E sentiu que fluia
Os mais belos sentimentos
Que tinha,
E ao fazer isso,
Sentiu muita alegria.

Depois...
Foi dormir satisfeito;
Mesmo que tudo aquilo
Não passasse de um pensamento,
Ainda assim, já tinha causado um efeito;
Nele mesmo,
Nele mesmo.

Porém, em algum lugar,
Onde a luz se manifesta em vibração;
Condutores de energia
Distribuem por sintonia;
As emanações daquela singela oração;
Sem pensar se quem recebe é haitiano
Brasileiro ou africano,
A luz é inteligente;
Chega a quem precisa
Leva força a quem necessita
Não poderia ser diferente não.

A tragédia tem esse papel:
Despertar quem está dormindo da inércia;

E gente que nunca pensaria em dar ao outro a mão,
Se vê orando, emanando as mais belas orações.

É difícil o despertar da alma,
Pois nem todas as pessoas estão preparadas
Para orar por uma causa;

Feliz daquelas pessoas,
Que consegue enviar luz
Sem algum grito coletivo;
E mais feliz ainda
Daqueles que o despertar
Só acontece
Quando a tragédia bate-a-porta
Ou lhe atinge no sofá vindo da TV;

Pois não importa a causa,
O mais importante é contribuir;
O que importa se no pensamento
Está o Brasil ou o Haiti?
Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply