terça-feira, novembro 17, 2009

UM EXU NA PORTA DO SESC

Essa semana, postei uma crônica sobre um encontro inusitado com uma entidade espiritual, onde contei que o nome dele era "Exu da Cara Preta". A verdade é que apesar de não ser umbandista ou ter qualquer laço religioso com outras quaisquer religiões afro-brasileiras, simpatizo muito com a Umbanda e mesmo depois de ter visto o melhor e o pior que poderiam fazer em seu nome; nos últimos tempos, retornei a pesquisar sobre os Orixás na Umbanda em meus estudos espiritualistas e aproximei-me cada vez mais dessa cultura linda que os negros africanos ( sim, há também negros aborígenes, negros hindus etc) nos presentearam como herança cultural e religiosa. Apesar de adorar cada um desses lindos Orixás ( Deuses africanos, cada um com um poder, seus símbolos e uma série de significados); sempre fugi um pouco do Exu, e nas últimas semanas, o Exu vem tentando se aproximar de mim.

Tirando todo o estereótipo que você pode ler nas entrelinhas da crônica " Exu da Cara Preta"; sempre evitei estudar sobre esse Orixá, talvez por preconceito, medo, receio, sei lá o que mais; enfim, fugi, fugi e acabei dentro de um ritual de exu, um dia desses, quase sem querer. E descobri muito mais do que eu gostaria de saber.

Enfim, depois de uma "abertura de olho de vergonha na cara" que a energia do Exu me proporcionou; começei a flertar mais com essa energia do mensageiro, do guardião das portas; e apesar da seriedade e das sombras em que esse Orixá trabalha; aparentemente, sinto que há algo que preciso aprender. E foi pensando nisso, que acordei hoje, pedindo ao céus, que me mandassem um sinal, pois preciso tomar uma decisão e não posso mais ficar na encruzilhada das decisões. Daí, fiquei reparando nas coisas do mundo, esperando que o mundo falasse de volta para mim e me trouxesse a mensagem que eu pedi. Esperei, esperei; até que desisti. Daí; fui almoçar no Sesc do Carmo aqui perto de casa; e para a minha surpresa e artimanha do "acaso" uma atriz negra começou a narrar uma peça de teatro bem na porta do Sesc.

- Vocês sabem quem é o Guardião dessa porta? Não sabem? Se não sabem, vou dizer: é o EXU!!!

Fui tomado de assalto, desarmado e surpreso; sentei no chão e assisti o mundo falando comigo através daquela mulher que contava a história do Exu.

- Sim, o Exu, é um Orixá, e um dia ele vagava pela rua de Oxalá, e viu o velhinho fazendo os Seres Humanos com barro, e ficou curioso, observando o velhinho modelando cada ser vivo. E o Exu aprendeu, observando, tudo sobre como era esse tal de ser humano. E ficou lá, na casa de Oxalá, por um bom tempo, até que o vehinho lhe pediu que o ajudasse, pois não queria que nada pertubasse o seu trabalho com os seres humanos e Exu, obediente, lhe atendeu e ficou para sempre guardando e protegendo os caminhos, as portas, as encruzilhadas e fez isso tão bem, que Oxalá o presenteou com a missão de despertar os Seres Vivos quando eles estiverem caminhando por atalhos desconhecidos e perigosos. Por isso, é que toda vez que você passa por uma encruzilhada, você precisa deixar um agradinho...

Respirei fundo!

A platéia encantada aplaudia o espetáculo e eu fui me despedindo da mensagem do mundo e do Exu, e eu estava sorrindo. A lição foi assimilada!


HERANÇAS NEGRAS
Histórias de Negros Brasileiros
SESC Carmo
Dia(s) 17/11, 19/11, 24/11, 26/11
Terças e quintas, das 12h às 14h.
Antigas histórias de família, relatos míticos e casos verídicos serão narradas por uma atriz caracterizada. Com Simone Debet. Hall de entrada.
Grátis

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply