sexta-feira, novembro 27, 2009

PRECE DO SERTÃO

Ivan Vilela

Oi Deus, nóis tá sempre pedindo
as coisas pro Sinhô
Nóis pede dinheiro
Nóis pede trabaio
Nóis pede pra chovê, e se chove demais
nóis pede pra pará,
mó de a coieita num fartá.
Nóis pede amô. Nóis pede pra casá
Nóis pede casa pra morá
Nóis pede saúde
Nóis pede proteção
Nóis pede paiz
Nóis pede pra deslindá os nó quano
as coisas cumprica,
Mó de a vida corre mió.
Quano a coisa aperta, nóis reza pedindo
tudo que farta.
É uma pedição sem fim, e quano as coisas
dá certo, nóis vai na igreja mais perto
e no pé de algum Santo
que seja de devoção, nóis deixa uns mirreis,
e lá nos cofre da frente,
nóis coloca mais uns tostão.
Mais hoje, Meu Sinhô, bateu uma coisa
isquisita e me puis a matutá.
Nóis pede e pede.
Mas nóis nunca pergunta comé
que o sinhô tá.
Se tá triste, o tá contente.
Se percisa darguma coisa que a
gente possa ajudá.
E por esse esquecimento,
o sinhô há de adescurpá.
Ói Deus, nóis sempre pensa que o
sinhô não percisa de nada,
mais tarvêz não seja assim,
Tarvêz o sinhô percisa de mim.
Sim...
O sinhô percisa sim.
Percisa de minha bondade.
Percisa de minha alegria.
Percisa da minha caridade.
No trato c´os irmão.
Nóis semo a Sua Criação.
Nóis num pode fazê feio.
Nem fica fazeno rodeio.
Mó de desapontá o sinhô.
Nem amargá o seu sonho,
que foi seu sonho de amô,
quando essa terra todinha criô.
Ói Deus, eu prometo vô rezá de outro jeito.
Vô para com a pedição
e trocá milagre por tustão.
Tarvêz até eu perca uma graça,
mas antes eu vô vê direitinho
o que é que andei fazeno de bão.
E se nada de bão eu encontrá,
muito vou me envergonhá,
e ainda vô te pedi perdão.

Postado originalmente por Giancarlo Salvagni em seu blog:
http://kaleidoscopo.blogspot.com

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply