segunda-feira, novembro 30, 2009

A MEDITAÇÃO E O BANQUETE

Cansado de lutar com os meus pensamentos, virei a mesa e os convidei para jantar.

Eles ficaram confusos, e ao invés de passearem para lá e para cá; em dúvida, aceitaram meu gesto amigo e se sentaram ao meu lado para degustar o jantar. Foi quando percebi que os pensamentos não eram inimigos, eles eram meus aliados.

Maldito professor de meditação que sem nada o que fazer, me ensinou erradamente os pensamentos eliminar. Não é preciso se livrar dos pensamentos, só é preciso deixá-los passar.

Sorri e terminei a meditação, enquanto meus pensamentos lavavam os pratos.

Um comentário:

conscienciaempoesia disse...

Oi Frank, passeando por aqui... lógico que fui ler este post sobre meditação...

Perfeito!!!

É isso mesmo, quando não colocamos foco nos pensamentos e não damos a eles vulto, enredo... eles ficam pequenos perto do âmbito que se abre em silêncio na meditação... como se fosse uma sopa de legumes em pedacinhos bem rala...

E com esse caldo vamos engrossando a meditação ;-)

Adorei o post...

Beijo na Alma,

Sophia

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply