sexta-feira, julho 31, 2009

FELIPE E BARRICHELLO: O OUTRO LADO DA CRÔNICA

Depois da minha mensagem sobre o Felipe Massa ontem, recebi um e-mail do meu amigo Lázaro, lembrando o outro lado da crônica:

" ... pra quem quiser dar uma força para o Rubinho, que está até pensando em parar, o endereço dele é o http://twitter.com/rubarrichello; mas aviso: Ele é gente boa pacas, responde a quase todos, e DETESTA que façam as (inevitáveis) piadas...
Nem pensem em escrever dizendo que ele é ruim ou perdedor, rs. Vão ouvir ele lembrar que, falem o que quiser, ninguém pode acusá-lo de não ser batalhador, de não ter chegado longe, e de dar a sangue pelo Brasil... (como poucos famosos dão)."


Felipe Massa, como qualquer brasileiro, ao conversar com o Rubinho ao telefone, não perdeu a piada. O ferrarista brincou e reclamou da mola que saiu do carro do piloto da Brawn e o atingiu na cabeça.

"Pô, mas você tinha de jogar as coisas logo na minha cabeça?", teria dito Massa a Barrichello, segundo a assessoria do piloto.

Barrichello, que está nos Estados Unidos e ficou surpreso com a ligação, comemorou a evolução do quadro clínico de Felipe Massa. "Ele merece o melhor, impressionante a recuperação", comentou.

Isso é um pouco do Brasil: bom humor, camaradagem, surpresas e muita vontade de continuar apesar das dificuldades e da "falta de sorte".

Segui o conselho do Lázaro e deixei um recado para o Rubinho no Twitter e depois de uma rápida pesquisa no orkut e google, descobri que há pessoas que levam mesmo a sério essa profissão de torcer contra o Barrichello, indo além da piada para o mal gosto, com agressões e argumentos superficiais sobre esse outro brasileiro que tanto fez pelo Brasil.

Muitos já teriam desistido, Barrichelo persistiu. Talvez, nenhum outro atleta tenha mais a cara do Brasil.

Em uma dessas comunidades do orkut que reúne depreciadores do corredor, um participante "anônimo" tentou defender o Rubinho e postou uma canção de Arlindo Cruz e Sombrinha:

Moleque Atrevido

"...Respeite quem pode chegar
Onde a gente chegou...

...Não se discute talento
Mas seu argumento, me faça o favor
Respeite quem pode chegar
onde a gente chegou
E a gente chegou muito bem
Sem a desmerecer a ninguém
Enfrentando no peito um certo preconceito
e muito desdém...

...Por isso vê lá onde pisa
Respeite a camisa que a gente suou
Respeite quem pode chegar onde a gente chegou
E quando pisar no terreiro
Procure primeiro saber quem eu sou
Respeite quem pode chegar onde a gente chegou..."


O sujeito deve ter sido expulso, mas ao ler as letras do samba, pensei que mesmo sem falar o nome do Rubinho, essa canção é realmente uma grande crônica sobre esse corredor que começou a carreira na Fórmula 1 em 1993, e é considerado um dos pilotos mais experientes da prova.

Rubens Barrichelo chegou ao Grande Prêmio da Europa de 2009 sendo o piloto com maior participação em grandes prêmios: 281, com 277 largadas (contra 256 de Patrese).

Outros números do piloto:
* 185 provas concluídas na zona de pontuação (perdendo apenas para Michael Schumacher, que pontuou em 197 corridas);
* 66 pódios (sendo o quarto piloto a subir mais vezes ao pódio da Fórmula 1);
* 574 pontos conquistados (sendo o 4º maior pontuador).

Tudo o que poderia ser dito sobre o Rubinho, enfim, pode ser definido na própria definição que ele faz de si mesmo:

" Sou Brasileiro
Sou feliz
e sou guerreiro"

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply