domingo, junho 07, 2009

ENSAIO SOBRE A MUDEZ

Um dia, curiosamente, o mundo acordou mudo.

Foi um espanto: ninguém conseguia articular um som sequer, estavam todos doentes de silêncio.

Depois do pranto e de tanta gente pulando das pontes por não conseguir falar; todo mundo que restou, e foram poucos, começou a notar que a comunicação não era só feita de palavras faladas; não que eles não soubessem disso antes, toda a minha gente sabia; é que eles estavam tão acostumados a escutar somente o que eles diziam, que nem reparavam que o outro também tinha boca.

E em mundo onde ninguém podia expressar uma sílaba, o ouvido passou a ser o órgão mais comunicativo, os olhos ganharam fama de falantes e o mundo real começou a surgir, pois a minha gente não conseguia mais mentir: juras não podiam ser feitas, a tagarelice não era mais conversa corrente.

No mundo do silêncio, não havia espaço para a hipocrisia, ninguém mais morria pela boca ou ficava aprisionada pelo que dizia; e assim o meu povo descobria que era possível conversar sem nada falar e que o olhar comunicava mais que a língua.

Como isso foi possível?

Não sei, mas me conte você: se o mundo amanhecesse sem fala, você conseguiria ficar todo um dia só escutando? Ou se jogaria da ponte por não conseguir calar a boca?

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply