quarta-feira, dezembro 31, 2008

BAILANDO

Há anos que passam pela gente, há outros que ficam como presente, dentro do nosso peito.

Quando dois mil e oito começou, jamais imaginei o quanto a minha vida mudaria e em como o destino me faria rever e recaminhar velhas trilhas e ao mesmo tempo começar novos rumos.

Nesse ano de resgate, recuperei minha irmâ Umbanda, fiz minhas preces a Cristo, aos Devas, Santos, Deuses indianos e Orixás. Nunca fui tão Namastê.

Minha bela esposa voltou a ser a minha musa, amigos se foram e outros tantos reapareçeram em minha estrada, como se brotassem em árvores, após um longo inverno da ausência da verdadeira amizade.

Foram tantos as "Festas da Vida", tantos textos, tantas poesias, tantas músicas, tanta alegria, que mesmo diante das pedradas que levei e das rochas no caminho, fiz sopinha de pedrinhas, extrai o melhor de cada situação e segui em frente, experimentando o feio e o bonito, na dualidade de todas as coisas que a Vida me deixa experimentar.

Saudades tenho de muitos parentes ( outros tantos, queria mesmo era distância); e como todo fim-de-ano acaba em enumeração de realizações, cito duas: Comecei 2008 como aluno e termino como professor; comecei 2008 com pequenos ensaios no chuveiro e termino como cantor. Fui graduado nas letras e na música! Quem diria? Ele disse, Ela fez ser.

Por isso agradeço ao Jesus menino, ao Budinha Guri, ao Menino Dourado e todos os erês que me fizeram ver "que para ser homem, é preciso ter a grandeza de um menino*".

Feliz 2009 a todos, que todos vocês sigam voando e bailando essa nossa vida maravilhosa, que a cada ano que passa, fica mais bonita, mais bonita e mais bonita.



* Girassol: canção do Cidade Negra
Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply