quinta-feira, julho 31, 2008

O LOUCO NA COLINA

Sou o louco do Tarot; sou o tolo da colina, equilibro-me numa flor e o precipício é a minha sina.

Não quero que você me entenda, nem procure compreender; pois há coisas que apenas sentimos, nem adianta descrever.

O sol me ilumina quando ando sob as nuvens. É a lua que me avisa, quando estou prestes a bater a cabeça no chão. Por isso, não me preocupo, se você acredita se eu vôo ou não; enquanto você duvida, eu estou em pleno ar.

Vou voando enquanto caminho e essa é razão por trás do sorriso que exibo, enquanto você chora. Não sou melhor que você, só diferente na maneira como enxergo a vida, que não passa de um rio, para mim, mas um rio que sobre para o mar. Sim, meu rio sobre e meu céu desce. Aprendi a alcançar as estrelas, e por poder fazer isso, as deixo por lá.

Não entendeu? Não se preocupe, sou apenas o bobo da corte, sentado na colina, vendo o mundo girar.

Um comentário:

Anônimo disse...

As metáforas do seu texto são muito pertinentes ao mundo daquelas pessoas que caminham com o andar de princípe, conquanto, alguns olham espantados e incrédulos como se estivessem vendo algum ser de outro mundo. A vida é assim; aqueles que crêem levitam e aqueles que não crêem se arrastam. Um abço.
Enviado por helio

Recanto das Letras

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply