segunda-feira, maio 12, 2008

TODO DIA É DIA DAS MÃES

- Todo dia é dia de mães!- eu disse. Minha esposa não respondeu. Domingo, estávamos indo para a casa das nossas respectivas mães – Não vou entrar nessa onda da mídia; nessa propaganda para a massa gastar dinheiro com presentes.

- Sei...- disse ela.

- Verdade! Eu vou almoçar com ela; vou enchê-la de abraços e beijos; afinal, não há presente melhor para uma mãe que a presença dos filhos.

- Ok, mas se mudar de idéia, ainda dá tempo comprar algo bacana! – ela respondeu.

Não mudaria de opinião. Eu estava tranqüilo e tinha certeza da minha decisão. Se havia algo que abomino é hipocrisia e o poder de indução à multidão. Eu não compraria nada porque o comercial mandou. Chega de manipulação.

Dentro do ônibus, que visão mais patética ver toda aquela gente com pacotes embrulhados, flores e olhares de dever cumprido. Durante todo o ano, eles tratam suas mães como lixo; e no segundo domingo do mês de Maio, a redenção vem embrulhada num perdão comprado e embrulhado para presente. Eu não!!!

Graças aos Deuses, eu tinha uma relação maravilhosa com a minha mãe e o fato de aparecer em sua casa de mãos vazias não significava que o meu coração estava oco.

- Você mora por aqui? – puxou papo um homem sentado no banco ao lado.

- Não!

- Vai visitar a sua mãe?

Não precisava ser um gênio para adivinhar isso.

- Isso! – respondi

- Não deu tempo comprar um presente? – ele perguntou, olhando para as minhas mãos.

Por essa razão, eu prefiro carro a ônibus. Você não corre o risco de sentar ao lado da sua consciência; nem que ela seja o grilo falante.

- Não é isso! – respondi, já com um tom irritado – Eu acredito que o melhor presente para a minha mãe é a minha presença. Esse negócio de presente obrigatório é produto do marketing das grandes empresas que adoram criar “datas especiais” para faturar mais.

- Compreendo – ele respondeu, fez uma pausa e tornou a falar – Não sei quanto a você, mas comemoro o meu nascimento todos os dias, afinal, cada dia é uma vitória; mas o dia do meu aniversário é mais especial. É o mesmo para as mães. Todos os dias é Dia das Mães, mas hoje é um pouquinho mais especial. Por isso, seja lá o que você faça, não transforme esse dia em coisa comum para ela.

Hum...era só o que me faltava!!!

- Obrigado pelos conselhos – respondi por educação, mas para me livrar daquela conversa, desci no próximo ponto (Cinco pontos antes da casa da minha mãe); bem em frente a uma floricultura. Enquanto esperava o outro ônibus, eu fiquei olhando para as rosas, as rosas olharam para mim. Maldito, Grilo Falante...

Alguns minutos depois, bati na porta da minha mãe e ela atendeu com um sorriso do tamanho da rua.

- Feliz Dias das Mães! – falei, abraçando-a.

- Obrigada, filho! – ela respondeu sorrindo.

- Não trouxe presente – fui logo falando.

- Meu maior presente é você – ela respondeu – está com fome?

Ela serviu algo para eu comer e jogamos conversa fora. Enquanto tomava café, percebi uma rosa embrulhada em plástico, com o seu caule descansando dentro de um copo d’água.

- Ganhou uma rosa, mãe?

- Não. Na verdade, comprei essa rosa na feira para dar para sua irmã. Ela é meu bebê, mas não posso esquecer que também é mãe.

DIM DOM!

Campainha. Ela vai até a porta. Nada vejo, apenas escuto:

- Dona Maria das Graças? – diz uma voz masculina.

- Sim.

- Esse buquê de rosas é para a senhora!

Quer saber? Bendito seja o Grilo Falante. Muito se fala do amor de mãe, mas não há nada mais gratificante para um filho do que ver sua mãe chorando de alegria e emoção.

Um comentário:

Anônimo disse...

ameiiiiiiiiiii!!é lindo dms,penso exatamente igual a o grilo falante.
bjssss

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply