quinta-feira, outubro 18, 2007

Olhar de Mãe

Esses dias, eu pesquei um olhar de mãe. Nada de novo, mães olham seus filhos o tempo todo; por vezes com orgulho, outras vezes com não tanto, mas esse é um daqueles olhares de amor puro, que tanta gente sente falta nesse mundo.

Era Domingo, dia perfeito para reunião de família, mesa farta, crianças correndo pela casa, ouvir “ vai embora não...tá cedo”, mesmo quando o galo já prepara seu cacarejo. Foi depois do almoço, quando brincava com meus sobrinhos no sofá, que percebi certo olhar, olhar que até agora tento descrever, compreender, mensurar e quanto mais tento, mas volto a um estado de não-palavras, de total graça.

Não era olhar qualquer-amor, nem amor ganha-perde, nem se reduzia ao tempo e ao espaço. Era amor fluindo boa aventurança por todos os lados. Amor corrente, fluindo naturalmente dela para mim, mesmo que eu não notasse, esse amor assim meio sem fim.

Amor de mãe para filho, atemporal, incondicional e indestrutível. Amor que flui desde sempre e eternamente foi, é e será. Amor que filho não sente pela mãe e nem pai sente pelo filho. Amor que ninguém consegue imitar.

Eu quase consegui pegar aquele olhar, guardar no bolso e distribuir para todos, mas o máximo que consegui foi sentir, e depois de tentar tanto descrever o que recebi, desculpe amigos leitores, acho que vou desistir.


Frank
Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply