segunda-feira, maio 07, 2007

Lágrimas Secadas pelo Sol


Para Robis...


As lágrimas desciam pelo meu rosto como espinho. Cada gota, uma dor; cada lágrima, uma lembrança que me torturava, que arrancava o pior de mim.

Chorava pelo mundo que era estranho pra mim; chorava porque as vezes, lembro que sou das estrelas e estar na terra em carne é como viver dentro de uma armadura, em um mundo medieval, que ainda não conhece o amor.

Chorava porque precisava me libertar de tudo aquilo que apertava meu peito; chorava porque não havia com quem conversar, desabafar, um ombro para chorar.

Chorei até que o sol gritou nos meus ouvidos: Corre, tranforma o choro em sisco! Você é mais que isso! Você é filha da Terra, mas neta do Sol; teu objetivo é voar como um cometa e não rastejar no chão carregando o casco dessas ilusões que te obrigam a chorar. Corre pela tua vida. Corre pelos teus sonhos. Corre por aquilo que te arranca um sorriso. Corre até que a última lágrima não tenha mais razão de cair.

Então, corri. Corri, sentindo que as lágrimas secavam mesmo antes de cair. Corri por mim e por todo o mundo que as vezes não entendo e que nunca me compreende. Corri até não aquentar mais. Corri até sentir que estava viva, numa armadura, mas viva o bastante para transformar minha vida. Só preciso continuar a ser guiada pelo Sol e não mais carregada pela chuva.

Um comentário:

Isabel disse...

Olá Frank...que mensagem linda...engraçado como a gente consegue se identificar com certas histórias...

Sou da lista dos Voadores e recebi sua mensagem por lá...tenho certeza que o meu dia não será o mesmo.

Um grande abraço

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply