domingo, abril 23, 2006

O Segredo dos Pingüins

Little Bob deveria estar jogando vídeo game, mas havia o livro que pegara na
biblioteca que não lhe saia da cabeça: “And Tango makes Three” contava uma
história que ocorreu há dois anos no zoológico do Central Park, em Nova
York. Dois pingüins machos, Roy e Silo, chocaram um ovo e adotaram o
filhote, formando uma família fora dos padrões daquelas que se vê no local.
A história deles se tornou livro infantil e todos os alunos precisavam ler e
comentar na classe a leitura do mesmo.

Bob tinha ficado fã desses bichinhos, depois que assistira no cinema “A
Marcha dos Pingüins” e não conseguira parar de ler o livro que lhe deram. À
medida que lia, ele conseguia imaginar a cena tão nitidamente que parecia
que assistia ao filme. Riu da confusão dos animaizinhos e se emocionou ao
perceber que a união dos dois pingüins machos resultara em vida.

Quando chegou a última página, percebeu que aprendera algo e era isso que
falaria na classe no dia seguinte: “Há diferenças em todo o reino animal,
não podemos julgar nada pela aparência ou por nossos preconceitos, pois Deus
é tão bom que tem um plano de amor até para um casal de Pingüins machos.”

Pensava nisso, quando seu pai se aproximou e arrancou o livro das suas mãos.
Ele acabara de ler sobre o livro nos jornais; livro este que fora proibido
em todo Estado de Missouri.

- Quem te deu esse livro pra ler? – perguntou o pai furioso. Little John não
sabia o que responder; conhecia quando seu pai estava alterado e sabia que
se não desse a reposta certa iria apanhar. Mas qual seria a resposta certa?
Ele nem sabia ao certo o que tinha feito de errado.

“A Professora me pediu pra ler”, respondeu, já esperando a pancada, mas nada
ocorreu. Seu Pai olhou mais uma vez para o livro com a foto dos três
pingüins na capa e para ele, mas em seguida saiu do quarto. Alguns momentos
depois, Little Bob começou a ouvir seus pais discutindo sobre o livro.

“O que havia de errado com o livro?” ele se perguntava, mas nenhuma resposta
vinha a sua mente e estranhamente no dia seguinte não houve aula. Quando
finalmente voltou para a escola, havia uma professora substituta na classe.

Ele nunca entendeu porque razão a antiga professora jamais voltou a dar
aulas para eles e o silêncio dos novos professores quando ele perguntava se
cairia na prova à leitura do livro dos Pingüins.

No final, acabou se convencendo que certas perguntas não possuem resposta e
aceitou a ordem silenciosa de nunca mais discutir com os adultos sobre
aquele livro, porém, esse silêncio não existia entre as crianças que leram o
livro, pelo contrário, eles conversaram sobre o livro proibido que tanto
enfureça os adultos o ano inteiro e chegaram à conclusão que seus pais eram
mesmo estranhos, afinal não tinha nada naquele livro além de um historia de
amor.

Frank
23 de Abril 2006

Notas do autor: Leia mais sobre o livro e os pingüins no link abaixo:
http://mixbrasil.uol.com.br/cultura/especiais/pinguins/pinguin.shtm

2 comentários:

R2K disse...

: )

Susan disse...

Somente hoje conheci seu blog e li cada história, vi cada foto, percebi cada entrelinha. Gosto muito de suas análises. Não é uma simples escrita, despretensiosa... tem as insinuações nas entrelinhas, o apontar aos preconceitos... MUITO bom. Gosto de sua visão pacifista, clara e honesta. Obrigada por alegrar meu dia!
Continue as escritas!!!

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply