segunda-feira, janeiro 23, 2006

O Primeiro Amor

Banhei-me de ouro,mergulhei no dourado. O ônibus estava lotado, a camisa suada, mas os olhos abriram caminho em meio a fadiga e ao calor e percebi a força do primeiro amor*.

Sim , o primeiro amor me tocou usando os raios de sol. A cidade cinza mergulhou no sorriso que o por-do-sol desencadeou em minha face e eu virei parte do crepúsculo.

Vi que estava sonhando de novo, sonhando acordado. Sonho lúcido do qual não consigo acordar e nem poderia ser diferente. Estou aqui pra sonhar, viver esse sonho em toda a sua dimensão, mas quando o sonho começa a perder o encanto, Ele se mostra e nos lembra do primeiro amor. Ele aparece no dourado refletido nos prédios e nos mostra que precisamos permanecer um pouquinho mais lúcido e não deixar o sonho virar pesadelo.

Sim, em momentos assim, posso sentir novamente o primeiro amor entrando por todos os meus poros e me lembrando de quem eu sou. Sim, em momentos assim, a saudade de casa me tira lagrimas dos olhos e da vontade de voltar. Em momentos assim, quase posso sentir o cheiro do lar vindo pelo ar, quase posso lembrar dos rostos dos amigos e amigas que torcem por mim nos bastidores. Quase lembro o que sei quando estou dormindo, mas preciso voltar pro sonho. Não posso acordar ainda. Esse sonho é bonito e só existe para que eu possa acordar, mas na hora certa. Mas não estou sozinho e toda vez que eu me esquecer disso, terei sempre o primeiro amor pra me lembrar.

Olho pro sol se despedindo e agradeço ao Criador por estar ali sentindo aquilo. Agradeço por estar vivo e poder estar consciente daquela sensação de certeza que há algo a mais do que os nossos olhos podem enxergar.

Sinto o primeiro amor pulsando no meu peito e entrando e saindo com o ar que respiro. Esse amor estava comigo, sempre esteve, mas precisa de um por do sol pra me despertar. Esse amor é minha estrela guia nos momentos em que esqueço completamente de quem sou e de onde vim. Esse amor é a minha luz nos momentos escuros. Luz que reflete no pedacinho do divino que habita dentro de mim. Luz Maior que foi e é o meu primeiro amor.


Frank Oliveira
23 de Janeiro de 2006
http://cronicasdofrank.blogspot.com


* Primeiro Amor: aprendi a chamar assim essa energia da vida, do todo; com o meu amigo Wagner Borges, que sempre procura passar através dos seus cursos, mas que teoria. Ele desvenda o oculto, revelando o coração.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply